ARGUMENTOS HISTÓRICOS À AUTONOMIA DA RAÇA

Marcelo Siqueira de Jesus

Resumo


O presente trabalho busca contribuir para o debate sobre a Educação para Relações Étnico-Raciais, através da argumentação de aspectos históricos e políticos que atribuem à categoria raça a sua relevância como fenômeno social. Nesse ensaio, recorro aos autores Hanna Arendt, Ernest Gellner, Franz Boas e Michel Banton, para sinalizar a raça como categoria analítica autônoma, tendo em vista que a Lei Nº 12.711/12, lei de cotas nas instituições de ensino público federal, é uma legislação que atende ao critério social, e deixa subsumida a raça como critério adotado como política pública de acesso à educação pública federal.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este periódico está indexado nas bases: