O TRABALHO DE ENFERMEIRAS(OS) OBSTETRAS NA ASSISTÊNCIA A NASCIMENTOS E PARTOS: PROFISSIONALIZAÇÃO E TENSÕES IDENTITÁRIAS

Jordão Horta Nunes, Maria Fernandes Gomide Dutra e Silva

Resumo


O objetivo aqui é analisar a construção da identidade social e laboral de enfermeiras/os obstetras no contexto de sua profissionalização. Os serviços hospitalares de assistência à gestante, ao parto e ao nascimento envolvem principalmente médicos, técnicos de enfermagem e enfermeiras(os) obstetras. A profissionalização de enfermeiras obstetras tem sido pouco investigada na sociologia do trabalho ou em áreas correlatas. Parte-se de uma breve contextualização histórica do desenvolvimento da enfermagem e da enfermagem obstétrica no Brasil e especificamente no estado de Goiás. Recorre-se a entrevistas de profundidade, além de levantamentos em bases de dados governamentais, para identificar elementos e vocabulários relacionados à identidade profissional da categoria, a seus desafios e embates cotidianos. Dentre os resultados, revela-se uma tensão entre a filosofia do parto humanizado e o tecnicismo da saúde com reflexo na construção identitária dos/as profissionais envolvidos/as, além de conflitos identitários entre os que compõem a “equipe multidisciplinar”: técnicas/os, enfermeiras/os obstetras, médicos, doulas, além de outros profissionais.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este periódico está indexado nas bases: