GRITO MUDO: A NARRATIVA DE UMA CONGOLESA QUE BUSCOU NO REFÚGIO A SOBREVIVÊNCIA, A PAZ E A DIGNIDADE

Jadna Rodrigues

Resumo


Ancorado na narrativa de uma congolesa que chegou ao Brasil há três anos, este artigo tem como objetivo apresentar, sob uma perspectiva antropológica, a trajetória de vida de uma refugiada desde a saída do seu país. As reflexões sobre a narrativa abordam a condição de gênero – uma fuga da violência sexual – e as motivações de uma guerra que está destruindo uma nação em benefício de poucos cidadãos. Essas condições levaram essa congolesa a abandonar uma carreira profissional bem-sucedida em seu país, para recomeçar sua história trabalhando em condições precárias no Brasil – um país aonde chegou sem conhecer ninguém, sem falar o idioma; um lugar que não escolheu para viver, mas onde sonha reagrupar sua família para, um dia, retornar à terra natal.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22478/ufpb.1676-4439.2017v16n2.37795

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este periódico está indexado nas bases: