MANIFESTAÇÕES CONCRETAS DA ECONOMIA SOLIDÁRIA: O CASO DO PROJETO ESPERANÇA/COOESPERANÇA DE SANTA MARIA -RS

Rita Inês Paetzhold Pauli, Kalinca Léia Becker, Bibiana Rosa

Resumo


A economia solidária brasileira busca reduzir alguns efeitos contraditórios provocados pelo modelo de produção hegemônico capitalista. Este artigo objetiva identificar as percepções dos associados a uma iniciativa de economia solidária com 30 anos de existência: o Projeto Esperança/ Cooesperança, de Santa Maria/RS. Trata-se de um estudo de caso com informações quali-quantitativas e descritivas com o intuito de compreender as percepções dos produtores dos empreendimentos solidários associados ao Projeto Esperança/Cooesperança, à luz de pressupostos teóricos como os meios de vida. As variáveis analisadas são: renda, capacidade de produção e venda, satisfação, qualidade de vida e otimismo. Os resultados indicaram que, de modo geral, além de representar uma alternativa de trabalho e renda, a participação no Projeto contribui para gerar otimismo e satisfação oriundos do trabalho social organizado, manifestado pelos grupos. Apenas 11% são indiferentes ou insatisfeitos com sua condição atual, o que pode estar relacionado a dificuldades ocupacionais ou de renda.  

 

Palavras-chave: Economia Solidária. Trabalho. Renda. Projeto Esperança/ Cooesperança.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este periódico está indexado nas bases: