Big Data, publicidade e o consumidor dataficado: o caso da série House of Cards

Giovanna Abreu, Marcos Nicolau

Resumo


Com o surgimento do Big Data e seu grande poder de estruturar dados, todas as práticas humanas, desde a saúde, passando pela segurança, até os negócios, podem ser observadas e exploradas com um potencial de captar padrões cada vez mais precisos. Juntamente com a Google, o Facebook, a Amazon e outras corporações, a Netflix tornou-se um exemplo emblemático de empresa que alia mineração de dados e monetização. A maior provedora global de filmes e séries via streaming está, não apenas tornando o seu sistema de publicidade dirigida mais assertivo, como comissionando conteúdo original, a exemplo da bem-sucedida série House of Cards. Nesse cenário, surge uma nova personagem: o consumidor dataficado . Todavia, extrair valor de dados privados pode ser uma escolha tão dúbia quanto minaz. Este trabalho reflexiona sobre o poder que a indústria da publicidade e do entretenimento está adquirindo com a dataficação, além de analisar como esses bancos de dados tornam a relação entre consumo e identidade ainda mais complexa e multifacetada.

Palavras-Chave: Big Data. Publicidade. Netflix. Consumidor dataficado.

Texto completo:

PDF


UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA / CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES - PPGC/UFPB