AVALIAÇÃO DA ADESÃO À TERAPIA ANTIRRETROVIRAL ENTRE PACIENTES EM ATENDIMENTO AMBULATORIAL

Iracema de Jesus Almeida Alves JACQUES, Juliane Machado de SANTANA, Danielle Chianca de Andrade MORAES, Alice de Fátima Moraes SOUZA, Fátima Maria da Silva ABRÃO, Regina Célia de OLIVEIRA

Resumo


Introdução: Os altos níveis de adesão à terapia medicamentosa da aids são fundamentais para o sucesso dos resultados clínicos relativos a essa doença. Objetivo: Avaliar o grau de adesão à Terapia Antirretroviral (TARV) entre pacientes em atendimento ambulatorial. Material e Métodos: Trata-se de estudo exploratório e descritivo com abordagem quantitativa. A amostra foi constituída por 152 pessoas diagnosticadas com aids em um hospital público de referência no Estado de Pernambuco. A coleta de dados foi viabilizada por meio da aplicação de dois questionários com questões relativas ao objetivo proposto. Para as análises, foram empregados os testes de qui-quadrado e de diferença de médias. Resultados: Observou-se que 58,33% dos entrevistados eram do sexo masculino; 75,39% recebiam de um a três salários-mínimos; e quanto a adesão à terapia, 75,66% apresentaram boa adesão. Na associação entre o grau de adesão e as variáveis sociodemográficas, uma amostra maior poderia indicar que, maior renda atua como facilitador a melhor adesão. Conclusão: O predomínio do sexo masculino entre os participantes deste estudo e a influência da renda familiar na adesão ao tratamento, levam-nos a sugerir um cuidado intensificado a esses grupos, com foco em uma adesão satisfatória.

DESCRITORES
Síndrome de Imunodeficiência Adquirida. Adesão à Medicação. Doenças Sexualmente Transmissíveis. Terapia Antirretroviral de Alta Atividade.

Texto completo:

PDF