A CRÍTICA IDEALISTA DE RUSSELL À GEOMETRIA KANTIANA

Marcos Amatucci

Resumo


Buscamos aqui estabelecer um diálogo entre Russell, em sua fase idealista, e o Kant crítico, no que concerne à Geometria. O que importa neste diálogo não é tanto o destino das paralelas, e sim a fundamentação da apoditicidade. Esta discussão tem repercussões para a compreensão da lógica russelliana e suas diferenças com logicistas importantes de seu período. O estudo apresenta, em sua primeira parte, resumidamente o problema da Crítica da Razão Pura e as idéias gerais da Estética Transcendental. Em seguida, a relação desta última com a Geometria em Kant. Na segunda parte, situa o Ensaio sobre a Fundamentação da Geometria e a Lógica de Russell na fase idealista de sua obra. A crítica de Russell idealista a Kant é apresentada em forma de análise das proposições do primeiro em relação ao segundo. Russell conclui que o simples surgimento de novas geometrias não é suficiente para invalidar a estética transcendental, e sua relação com a Geometria euclidiana, em Kant. A crítica de Russell, uma vez investigado o terreno geométrico, volta-se a um ponto de vista filosófico do idealismo inglês.  Para o Russell idealista de EFG, a diferença entre juízos sintéticos e analíticos dissolve-se na dialética hegeliana da parte-todo. A refutação do argumento do espaço como forma pura da sensibilidade traz para Russell a necessidade de outra fonte de justificação da necessidade, e Russell a encontra na generalização de um senso de exterioridade transcendental: não mais euclidiano, não para discriminar objetos externos ao sujeito e sim entre objetos presentes.


Palavras-chave


Russell; Kant; Geometria; apoditicidade; idealismo

Texto completo:

PDF

Referências


BRADLEY, F. H. 1883. The principles of logic, Uxbridge, Cambridge Scholar Press.

COPLESTON, F. 1994. A history of philosophy, Vol. 6: Modern Philosophy, Part I: The French Enlightenment to Kant. Doubleday & Co., Image Books, Garden City, NY, cap, 6, 175-189.

DA SILVA, J. J. 2007. Filosofias da matemática, Unesp.

FRIEDMAN, M. 1992. Kant and the exact sciences, Harvard University Press.

KANT, I. & WEIGELT, M. 2007. Critique of pure reason (CRP), London, Penguin Books.

PORTA, M. A. G. 2007. Filosofia a partir de seus problemas, São Paulo, Edições Loyola.

RUSSELL, B. 1995. My philosophical development (MPD), Psychology Press.

RUSSELL, B. 2007. An Essay on the Foundations of Geometry (EFG), New Yorrk, Cosimo Classics.




DOI: https://doi.org/10.7443/problemata.v8i3.33299

Crossref logo