TUBERCULOSE E GRAVIDEZ: MITOS E VERDADES

Tomas Catão Monte Raso, Flávio Varela de Araújo, Danilo Torres Matos, Beltrão Paiva Castello Branco

Resumo


RESUMO
Introdução. Atualmente a tuberculose insere-se na era tecnológica e os especialistas que labutam no âmbito da tisiologia clínica refutam “os mitos de antanho”, paradigmas do período pré-quimioterápico antituberculose, em que permeavam elocubrações sem consistências científicas, consagrando os mitos da medicina que posteriormente se confirmariam como verdades, e cujos avanços tecnológicos e da pesquisa de campo ratificaram que os fármacos tuberculostáticos são indenes ao binômio mãe/concepto. São apresentadas neste trabalho diversas argumentações e correlações entre o que seja verdade e mito na gestação com relação ao binômio mãe/concepto, diante da tuberculose. Objetivos. Com base no exposto e considerando que estudos a respeito do tema em pauta: verdades e mitos envolvendo a tuberculose e gravidez, são raros, objetiva-se com o presente estudo elucidar a questão a partir das incertezas que afligem os estudantes de medicina e que poderiam refletir como para-efeitos no binômio, frente à quimioterapia antituberculose a curto e longo prazo. Metodologia. Simples, oportuno e atual, sobre um tema bastante polêmico no âmbito da tisiologia clínica: “tuberculose e gravidez”, a pesquisa trata de um estudo observacional descritivo do tipo série de casos, no qual os autores analisaram dez prontuários (ANEXO I) de pacientes atendidos no interregno de 2000 a 2009 no Complexo Hospitalar Clementino Fraga (CHCF).

DESCRITORES: Tuberculose. Mãe/concepto. Gravidez. Quimioterapia.

Texto completo: PDF