Chamada de Artigos e Relatos Profissionais em Jornalismo para a Revista ÂNCORA Vol 4, N.2, 2017

Dossiê temático:

O JORNALISMO COMO NARRATIVA DO PRESENTE: Do debate clássico às produções e Investigações contemporâneas

O debate clássico pensou o jornalismo como ofício e como narrativa de mediação social. A partir desse pressuposto, esta edição da revista Âncora propõe refletir como, na atualidade, o campo jornalístico vivencia uma das mais agudas crises quanto ao seu modelo de negócios, no que diz respeito às práticas, processos e produtos, começando a adaptar-se à era da convergência com narrativas marcadas por exigências dos dispositivos multiplataforma, gerando um conjunto amplo de reflexões e produções.

Nesse cenário contemporâneo, ampliam-se os suportes e os modos de narrar as esferas da produção e da circulação, nas quais fatos encenados em narrativas são distribuídos e consumidos como notícia. Há, agora,  uma audiência ativa, participativa, que colabora, replica, dissemina, cria, produz e, muitas vezes,  chega antes do jornalista ao próprio acontecimento.

Teria o jornalismo perdido a primazia e o controle sobre os processos de produção e de distribuição da informação? A centralidade como lugar de fala da narrativa jornalística teria se alterado? O repórter pensado por Lippmann “como lâmpada nervosa”, a iluminar e dar visibilidade ao acontecimento/notícia, ou mesmo o jornalista como narrador do “presente especioso”, para lembrar Robert Park, poderiam ser lições/visões de um ofício que ficou no passado, nas suas técnicas, no seu lugar de enunciação, nos modos de narrar? Ou será que, ao contrário, conforme pensam os mais otimistas, o jornalismo vive um dos seus momentos mais instigantes, com múltiplas possibilidades para a sua reinvenção enquanto profissão?

Essas e muitas outras questões mobilizam as reflexões deste dossiê, que acolhe trabalhos voltados à discussão, desde os aspectos clássicos à atualidade do debate, recebendo artigos sobre jornalismo e literatura, jornalismo de revista, na web e em outros suportes; igualmente, recebe artigos ou relatos profissionais decorrentes de investigações voltadas ao jornalismo local, hiper e ultra local, assim como trabalhos sobre jornalismo imersivo e modos de narrar a partir do uso de aplicativos e de algoritmos. O dossiê recebe, ainda, artigos com abordagens voltadas à discussão das narrativas e reflexões sobre gêneros e formatos jornalísticos.

O tema-objeto “o jornalismo como narrativa do presente” é complexo e tem mobilizado esforços multidisciplinares importantes, como as pesquisas sobre narratividade de Luiz Gonzaga Motta, assim como aparece nas reflexões de Muniz Sodré, Antonio Fausto Neto, Eduardo Meditsch e Carlos Eduardo Franciscato, para ficarmos somente em alguns dos múltiplos exemplos. 

Nesta perspectiva, o dossiê abre espaço não apenas para explorações panorâmicas sobre o tema, como também acolhe trabalhos que argumentem sobre os impactos das tecnologias e dos processos de transformação do trabalho dos jornalistas, nas suas formas de narrar os acontecimentos.

Para submissão dos artigos, o(a)s autore(a) devem atentar para as normas editoriais disponíveis no site da revista Âncora http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ancora/about/submissions#onlineSubmissions.

Formas de envio para este dossiê: submissão pelo sistema ou pelo email revistaancoraufpb@gmail.com até o dia 20 de dezembro de 2017. 

Âncora também recebe artigos em regime de fluxo contínuo, sobre as mais variadas temáticas que envolvem o campo jornalístico, na descrição das suas práticas, processos e produtos. revistaancoraufpb@gmail.com