Métodos de Avaliação de Serviços e Programas de Saúde

MARISTELA CHITTO SISSON

Resumo


RESUMO
A incorporação de processos de avaliação no trabalho em saúde pode significar mudanças no estado de saúde das pessoas e na direção da consolidação do modelo assistencial do SUS. No setor público, existe um interesse maior pela avaliação de programas e recentemente, através da realização do pacto de indicadores da atenção básica, é possível identificar a monitorização, na população, das principais situações de saúde que demandam intervenções. Com o objetivo de relacionar conceitos avaliativos com os principais desenhos epidemiológicos utilizados em processos de avaliação, desenvolveu-se um levantamento documental. A análise identificou o crescimento do uso instrumental da avaliação, por poder alcançar mais diretamente os que investem nas intervenções em saúde. A maior premissa a ser considerada é que o objetivo de uma avaliação é influenciar uma decisão. Identificou também uma tipologia que se distribuiu entre desenhos experimentais, quasi-experimentais e não experimentais, indicando, por exemplo, o uso do método epidemiológico em estudos avaliativos para medida de atributos de qualidade de ações de saúde, como efetividade, eficiência, eficácia e outros, além de possibilitar a construção de indicadores utilizados para medidas de avaliação. Há convergência entre os autores no sentido de esclarecer que a seleção do tipo de estudo depende necessariamente dos interesses da avaliação a ser realizada, não havendo, portanto, um desenho melhor que o outro em todas as circunstâncias.

DESCRITORES
Avaliação em saúde; métodos. Serviços de saúde. Metodologia.

Texto completo:

PDF