Casos Atípicos de Malária Vivax

ISABEL BARROSO AUGUSTO DA SILVA, JOSÉ RICARDO DE ARAÚJO, CLEONARDO AUGUSTO DA SILVA, MAURÍCIO CARNEIRO, SIDNEY EMANUEL DOS SANTOS, JOSÉ MARIA DE SOUZA

Resumo


RESUMO
Apresentações clínicas graves de malária vivax são raras. Neste artigo, porém, são relatados três casos atípicos. Casos 1 e 2 desenvolveram insuficiência respiratória aguda e se recuperaram, contudo, o caso 3 apresentou vasculite sistêmica e hemorragia pulmonar, vindo a falecer no sétimo dia de tratamento. Os três casos necessitaram terapia intensiva. Foram realizados exames hematológicos e bioquímicos, parasitemias diárias, radiografias de tórax, quantificação do fator de necrose tumoral alfa (FNT-a) no dia do diagnóstico (D0) e sete dias após (D7). No caso 3, foram realizados exames para afastar doenças bacterianas e virais. Os três casos evoluíram com gravidade, mesmo após a negatividade da parasitemia e apresentaram trombocitopenia importante no D0. No caso 1, o quadro pulmonar melhorou após oxigenioterapia, restrição hidrossalina e manutenção do balanço hídrico negativo à custa de furosemida endovenosa. No caso 2, indicou-se antibioticoterapia sistêmica devido a suspeita de pneumonia bilateral, mas a paciente somente melhorou com o início do tratamento da malária vivax. O caso 3 desenvolveu hemorragia pulmonar grave, apesar das medidas de terapia intensiva, vindo a falecer no D7. O FNT-a alcançou níveis elevados no D0 nos três casos, provavelmente, contribuindo para as apresentações graves. Não foi detectada a mutação –308 na região promotora do gene FNT-a nos casos.

DESCRITORES
Malária vivax. Complicações. Fator de necrose tumoral alfa.

Texto completo:

PDF