[1]
Torres, M. 2020. “Não era dor / o que sentia / era abismo”: cartografias de um eu em A vida invisível de Eurídice Gusmão, de Martha Batalha. Revista Ártemis - Estudos de Gênero, Feminismos e Sexualidades. 29, 1 (jul. 2020), 46-61. DOI:https://doi.org/10.22478/ufpb.1807-8214.2020v29n1.53999.