Gaia Scientia https://periodicos.ufpb.br/index.php/gaia <p>A Revista <strong>Gaia Scientia</strong> é uma revista online, editada pelo Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente – PRODEMA, da Universidade Federal da Paraíba. Lançada em 2007, a revista destina-se à divulgação de artigos técnico-científicos originais e inéditos ou artigos de revisão (casos especiais, apenas com consulta prévia ao Editor-Chefe do periódico ou a convite), na área de Ciências Ambientais. Excepcionalmente, a revista pode publicar Edições Especiais, de temáticas atuais e relevante para a área de Ciências Ambientais. Os manuscritos elaborados devem destinar-se exclusivamente a Revista <strong>Gaia Scientia</strong>, não sendo permitida sua apresentação simultânea a outro periódico. No foco dos trabalhos publicados, consideramos pesquisas desenvolvidas nas mais diversas ramificações da área de Ciências Ambientais, incluindo trabalhos na interface com a Antropologia/ Sociologia Ambiental, Economia do Meio Ambiente, ações humanas para ameaça ou conservação da Biodiversidade e Impactos Ambientais, Engenharia Ambiental, Etnobiologia, Geografia Humana e Ambiental, Saúde e Meio Ambiente, Tecnologias Ambientais, entre outros.</p> Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente – PRODEMA - UFPB pt-BR Gaia Scientia 1981-1268 Primeiro registro do tubarão-martelo (Sphyrna mokarran), criticamente ameaçado, em seu habitat natural no litoral da Paraíba, Nordeste do Brasil https://periodicos.ufpb.br/index.php/gaia/article/view/64564 <p class="p1"><span class="s1">O grande tubarão-martelo, <em>Sphyrna mokarran</em>, está criticamente ameaçado em todo o mundo. A esmagadora maioria de seus registros são de animais mortos, esquartejados ou capturados por pescadores, o que limita nosso entendimento sobre sua biologia e conservação. Pela primeira vez, relatamos a ocorrência de <em>S. mokarran</em> no Estado da Paraíba, Nordeste do Brasil, em seu habitat natural. Em 21 de março de 2021, um macho subadulto de 2 m foi capturado por duas estações remotas de vídeo subaquáticos com isca (sigla <em>BRUVS</em> em inglês) a 55-59 m de profundidade, a 30 km de João Pessoa, dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) Naufrágio Queimado. Nossos achados sugerem que <em>S. mokarran</em> é rara na região e pode estar ameaçada por atividades pesqueiras não monitoradas e não regulamentadas. Há uma necessidade urgente de ações efetivas de manejo e conservação da espécie no Estado da Paraíba. Este registo tem potencial para servir de linha de base para a futura implementação de zonas de exclusão de pesca no interior da APA Naufrágio Queimado.</span></p> Wilson Marques de Oliveira-Junior Julia Liv Yvonne Spaet Ricardo de Souza Rosa Bráulio Almeida Santos Copyright (c) 2022 Gaia Scientia 2022-12-29 2022-12-29 16 4 1 15 10.22478/ufpb.1981-1268.2022v16n4.64564 Viabilidade técnica do uso de lodo da estação de tratamento de água na produção de alface https://periodicos.ufpb.br/index.php/gaia/article/view/63897 <p class="p1">O lodo gerado nas estações de tratamento de água (lodo de ETA), apesar de apresentar características físico-químicas com potencialidade agrícola, é um resíduo sólido descartado em aterros sanitários. Esta pesquisa objetivou: 1) avaliar a viabilidade técnica do lodo de ETA em substituição a substratos comerciais na produção de mudas de alface; 2) avaliar a produtividade comercial, em Arapiraca, região semiárida de Alagoas - Brasil. A pesquisa foi realizada em dois estágios: 1) produção de mudas em casa de vegetação, no arranjo fatorial 4 x 4 x 5, com quatro níveis de lodo (0, 20, 40 e 60%), quatro substratos comerciais (Pindstrup®, Vida Verde®, Bioplant 434® e Bioplant 401®) e cinco cultivares (Veneranda, Camila, Elba, Vitória Verdinha e Diva); 2) utilizou-se as mudas produzidas, em nível de campo, no esquema fatorial 3 x 3 x 5, em que foram excluídos os tratamentos Pindstrup e a dose de 60% de lodo, por não promoverem emergência. No 1º experimento, observou-se redução linear no índice de qualidade da muda com o acréscimo de lodo. No 2º experimento, a produtividade média foi de 5,4 Mg ha<sup>-1</sup>, em que a dose de 20% de lodo promove os maiores valores, sendo recomendado para produção de alface na região semiárida de Alagoas.</p> José Luís Tavares da Silva Marcelo Cavalcante José Anderson Soares Barros João Gomes da Costa Márcio Aurélio Lins dos Santos Copyright (c) 2022 Gaia Scientia 2022-12-29 2022-12-29 16 4 16 32 10.22478/ufpb.1981-1268.2022v16n4.63897 Ecologia de riachos: delineando planos amostrais para compreensão dos efeitos de uso da terra sobre comunidades aquáticas https://periodicos.ufpb.br/index.php/gaia/article/view/64902 <p class="p1">Riachos são sistemas aquáticos lóticos que perfazem até 70% das redes de drenagem, mas são negligenciados e frequentemente desviados, poluídos e canalizados frente às necessidades de crescimento e ocupação da terra por atividades antrópicas. Por conseguinte, o objetivo da presente pesquisa buscou delinear uma proposta de plano amostral para compreender os efeitos do uso da terra sobre as comunidades aquáticas, abarcando como estudo de caso a bacia hidrográfica do rio Itajaí-mirim (SC). Para tanto foram realizadas uma revisão bibliográfica, utilizando as palavras-chave com destaque aos principais parâmetros de análise de paisagem e sua influência sobre a comunidade de invertebrados; e, aplicação prática de escolha de parâmetros de paisagem mais adequados para escolha de riachos. Foram retidos para extração das métricas de análise de paisagem, 33 artigos em duas bases de dados. Atendendo aos critérios estabelecidos foram selecionadas 21 sub-bacias, das quais determinaram-se 12 prediletas, após atividade de campo. Salienta-se que elencar critérios para compreender a influência do solo sobre as comunidades aquáticas, associando métricas de geoprocessamento e atividade de campo para posterior validação em unidade de referência, são doravante contributivas na composição de um delineamento amostral eficiente, eficaz e de possível replicação para demais áreas investigadas.</p> Isabel Cristina Bohn Vieira Vinícius Soares Correa da Costa Vivian de Mello Cionek Eduardo Augusto Werneck Ribeiro Joaquim Olinto Branco Copyright (c) 2022 Gaia Scientia 2022-12-29 2022-12-29 16 4 33 52 10.22478/ufpb.1981-1268.2022v16n4.64902 Influência nas flutuações sazonais do nível do rio Madeira sobre a pesca no sul da Amazonia brasileira https://periodicos.ufpb.br/index.php/gaia/article/view/62389 <p class="p1">A bacia Amazônia possui a maior diversidade de peixes de água doce e o maior potencial de produção pesqueira continental do mundo. Sendo assim, este trabalho tem o objetivo de caracterizar os estoques pesqueiros e analisar a influência da sazonalidade fluviométrica sobre a ictiofauna do rio Madeira. Para isso foi utilizado dados de desembarques pesqueiros ocorridos na colônia de pescadores Z-31 “Dr. Renato Pereira Gonçalves”, localizada no município de Humaitá (AM). Os dados obtidos foram registrados diariamente contendo o local de pesca, data de partida e chegada das expedições, espécies capturadas e o número do total de captura em quilogramas (kg) no período de 2001 a 2010. Foram registradas 47 espécies taxonômica de peixes, divididos em 5 ordens e 16 famílias. Ao longo de todo o período amostral, foram contabilizados 3,001,468 kg de peixes desembarcados. Characiformes foi a ordem mais frequente, com 77,7% de toda produção pesqueira naquele período. Os peixes mais frequentes foram o Pacu, seguido pelo Curimatã e Jaraqui<em>. </em>Os desembarques ocorridos em Humaitá se caracterizaram pela sazonalidade das capturas, devido principalmente às variações nas cotas fluviométricas e ao comportamento migratório das principais espécies capturadas.</p> Rangel Eduardo Santos Fabrício Berton Zanchi Felipe Micali Nuvoloni Rogério Fonseca Copyright (c) 2022 Gaia Scientia 2022-12-29 2022-12-29 16 4 53 69 10.22478/ufpb.1981-1268.2022v16n4.62389 Desempenho socioeconômico e ambiental em cooperativas no sudeste do Pará https://periodicos.ufpb.br/index.php/gaia/article/view/63912 <p class="p1"><span class="s1">As cooperativas são consideradas uma alternativa para o enfrentar problemas socioeconômicos </span><span class="s2">e ambientais, e alcançar uma sociedade mais sustentável devido as suas formas de trabalho baseado em cooperação. A pesquisa propõe identificar como as cooperativas auxiliam a sustentabilidade local por meio de indicadores. O levantamento de informações se deu através de pesquisa de campo e aplicação de um formulário contendo questões sobre os cooperados e indicadores inseridos nas dimensões social, econômica e ambiental, onde obteve-se o nível de sustentabilidade das cooperativas e o desempenho dos indicadores. O estudo mostrou que as cooperativas se caracterizam com média sustentabilidade. Na dimensão social ficou evidente que os indicadores de oportunidade de emprego e sucessão familiar na cooperativa apresentaram os menores desempenhos. Na dimensão econômica as cooperativas conseguem assegurar o retorno financeiro aos cooperados, mas ainda possuem fragilidades em renda econômica, fontes de renda alternativas, eficiência no sistema produtivo (Cooper e “Mulheres de Barro”) e comercialização (“Mulheres de Barro”). Na dimensão ambiental, a “Mulheres de Barro” apresentou desempenho melhor que a Cooper e identificou-se que as duas cooperativas realizam práticas de conservação dos recursos naturais, e acreditam que suas atividades auxiliam na preservação do meio ambiente. </span></p> Julyana Carvalho Kluck Silva Gundisalvo Piratoba Morales Flávia Cristina Araújo Lucas Heriberto Wagner Amanajás Pena Copyright (c) 2022 Gaia Scientia 2022-12-29 2022-12-29 16 4 70 93 10.22478/ufpb.1981-1268.2022v16n4.63912 Potencial de uso de macrófitas aquáticas como ferramenta de fitorremediação na lagoa facultativa da Estação de Tratamento de Esgoto de Mamanguape-PB https://periodicos.ufpb.br/index.php/gaia/article/view/44954 <p class="p1">Uma das principais causas de poluição dos corpos hídricos é o lançamento de efluentes sem tratamento apropriado. Para proteger os recursos ambientais é crescente o investimento em tecnologias e ferramentas para o tratamento de esgotos. Esta pesquisa objetivou avaliar o potencial de uso das macrófitas aquáticas, como ferramenta de fitorremediação na lagoa facultativa da Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) de Mamanguape-PB. Para tanto, foram implantadas estruturas contendo macrófitas das espécies <em>Eichhornia crassipes</em> (Mart. Solms) e <em>Pistia stratiotes</em> (<span class="s1">Jalkumbhi). Foram realizadas coletas de amostras de água em pontos de entrada e saída da Lagoa Facultativa, e posteriores análises laboratoriais de indicadores de qualidade de água (pH, oxigênio dissolvido, amônia, nitrito, nitrato, ortofosfato e condutividade elétrica) antes da implantação das macrófitas (controle), quando estas estavam presentes com poucas macrófitas na lagoa (PM) e quando com muitas macrófitas (MM). Os dados adquiridos foram analisados estatisticamente através do software R, e também de acordo com a capacidade de depuração dos parâmetros. Diante dos resultados obtidos verificou-se que apesar de terem ocorrido melhorias na qualidade da água da lagoa após a implantação das macrófitas, estas não foram estatisticamente significativas, com exceção apenas do parâmetro de pH, não havendo, portanto, o efeito esperado da fitorremediação no biotratamento da água da ETE-Mamanguape, sendo a hipótese da pesquisa rejeitada, para a quantidade de plantas testada.</span></p> Luanny Dantas de Brito Maria Cristina Crispim Basílio da Silva Copyright (c) 2022 Gaia Scientia 2022-12-29 2022-12-29 16 4 94 118 10.22478/ufpb.1981-1268.2022v16n4.44954 Potencialidades da pesca do robalo Centropomus undecimalis (Bloch 1792) na costa oriental maranhense de acordo com o conhecimento ecológico local de pescadores e comerciantes https://periodicos.ufpb.br/index.php/gaia/article/view/64857 <p class="p1">O litoral oriental do Maranhão possui uma diversidade de recursos pesqueiros que vêm sendo muito explorados nos últimos anos. Associado a atividade pesqueira, a sabedoria tradicional de pescadores e comerciantes sobre a ictiofauna local torna-se fundamental para o estabelecimento de medidas de conservação e sustentabilidade da pesca a longo prazo. Nesse contexto, o presente estudo objetivou verificar o conhecimento ecológico dos pescadores e comerciantes acerca das potencialidades de pesca do robalo <em>Centropomus undecimalis</em> no município de Tutóia, estado do Maranhão. Para o desenvolvimento desta pesquisa foram realizadas entrevistas com pescadores e comerciantes da região de estudo, por meio da aplicação de questionários semiestruturados que continham perguntas abertas. Considerou-se nas entrevistas aspectos cognitivos referentes aos aspectos gerais da pesca e das potencialidades do robalo, além de aspectos sobre sua dinâmica e reprodução. Os resultados revelaram que o conhecimento ecológico dos pescadores e comerciantes se constitui como uma valiosa ferramenta adquirida ao longo dos anos e transferida entre as gerações, a pesquisa revelou ainda, que os entrevistados indicaram que o robalo tem respectivamente potencial para pesca comercial, esportiva e para o cultivo.</p> Isa Rosete Mendes Araujo Nascimento Christiane de Fátima Silva Mota Raimunda Nonata Fortes Carvalho Neta Copyright (c) 2022 Gaia Scientia 2022-12-29 2022-12-29 16 4 119 133 10.22478/ufpb.1981-1268.2022v16n4.64857 Diretrizes para o planejamento ambiental: uma contribuição para a microbacia hidrográfica de Apipucos – Recife, Pernambuco, Brasil https://periodicos.ufpb.br/index.php/gaia/article/view/64363 <p class="p1">O planejamento ambiental é fundamental no enfrentamento aos eventos extremos das mudanças climáticas e das transformações oriundas de ações antrópicas, que cada vez mais influenciam nas mudanças da paisagem urbana. O presente artigo buscou analisar a paisagem da Microbacia hidrográfica de Apipucos, Recife, Pernambuco, com base na sua sustentabilidade, de forma a apontar diretrizes para o planejamento ambiental. A área de estudo, Microbacia de Apipucos, está localizada na zona noroeste do Recife, com alta densidade populacional e fragmentos de áreas protegidas. Classificada como pesquisa aplicada com dados primários e secundários e aplicação das técnicas de análise da paisagem e análise de constelação. Observou-se a hierarquia das camadas físico-ambiental e o espraiamento das ocupações irregulares em áreas vulneráveis e suscetíveis a desastres naturais, apresentando relações conflitantes entre os interesses sociais e a proteção ambiental. A relação entre os agentes, instrumentos normativos e instituições, demonstrou a existência de políticas, planos e programas desenvolvidas com relevante observância ao planejamento ambiental, contudo carentes de articulação. Urge a necessidade de conectar o planejamento ambiental aos objetivos da Agenda 2030, alicerçados na governança, difusão do conhecimento, geração de empregos e renda e habitabilidade. Por fim, recomenda-se introduzir nos planejamentos as diretrizes com ações e responsáveis.</p> Silvana Paula Valdevino da Silva Renata Maria Caminha Mendes de Oliveira Carvalho Marília Regina Costa Castro Lyra Hernande Pereira da Silva Copyright (c) 2022 Gaia Scientia 2022-12-29 2022-12-29 16 4 134 156 10.22478/ufpb.1981-1268.2022v16n4.64363