A REESTRUTURAÇÃO PRODUTIVA E O TRABALHO DAS MULHERES UMA ANÁLISE CRITICA

Autores

  • JOANA D'ARC LACERDA ALVES FELIPE UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE - UERN

Palavras-chave:

Reestruturação produtiva, Relações Patriarcais de Gênero, Trabalho feminino.

Resumo

Resumo As consequências advindas do capitalismo no cenário da reestruturação produtiva repercutem nas más condições de vida e trabalho da população desprotegida, sendo as mulheres as mais atingidas. Assim, o objetivo geral deste texto é contribuir para a problematização originada a partir do processo de reestruturação produtiva, buscando compreender os impactos de suas transformações no âmbito da vida laboral das mulheres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

JOANA D'ARC LACERDA ALVES FELIPE, UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE - UERN

Professora de Serviço Social, mestranda em Serviço Social na área de Serviço Social e Direitos Sociais - Trabalhos e participação em pesquisas e estudos no campo dos estudos feministas e de gênero.

Referências

ANTUNES, Ricardo. Os modos de ser da informalidade: rumo a uma nova era da precarização estrutural do trabalho? Serviço Social e Sociedade, São Paulo, n. 107, p. 405-419, jul./set. 2011.

_________. Século XXI: nova era da precarização estrutural do trabalho? In: SEMINÁRIO NACIONAL DE SAÚDE MENTAL E TRABALHO, 2008, São Paulo. Anais eletrônicos. Disponível em: < http://www.fundacentro.gov.br/dominios/CTN/ Acesso em: 27 dez. 2014.

_________; ALVES, Giovanni. As mutações no mundo do trabalho na era da mundialização do capital. Educação e Sociedade, Campinas, v. 25, n. 87, p. 335-351, mai./ ago. 2004.

_________. O caracol e sua concha: ensaios sobre a nova morfologia do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2005.

CABRAL, João Francisco P. Capital, Trabalho e Alienação, segundo Karl Marx. Disponível em: http://www.brasilescola.com/. Acesso em 20 de dezembro de 2014.

CARBALLO, Rodolfo Fernández e CORDERO, Andrea Duarte. Preceptos de la ideología patriarcal asignados al género femenino y masculino, y surefractación en ocho cuentos utilizados en el Tercer Ciclo de la Educación General Básica del Sistema Educativo Costarricense en el año 2005. In: Revista Educación 30(2), 145-162, Costa Rica, 2006.

CISNE, Mirla. Feminismo, Luta de Classes e Consciência Militante Feminista no Brasil. (cap. 1). Tese de doutorado em Serviço Social defendida na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Rio de Janeiro: UERJ, 2013.

______­_. Gênero, Divisão Sexual do Trabalho e Serviço Social. São Paulo: Outras Expressões, 2013.

DELPHY, Christine. Le patriarcat, le féminisme et leurs intellectuelles. Nouvelles Questions Féministes, n 2, Féminisme: quelles politiques? p. 58-74, out. 1981.

DINIZ, Maria Ilidiana. O assédio sexual e moral contra as comerciárias do Rio Grande do Norte como mais uma das expressões da precarização do trabalho? Tese apresentada e aprovada, junto ao Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Rio de Janeiro, 2014, nº de páginas 350.

DURIGUETTO, Maria Lúcia. Sociedade civil e democracia: um debate necessário. São Paulo: Cortez, 2007.

ENGLES, Friedrich. A origem da família, da propriedade e do Estado. Trad. De H. Chaves. 4ª Edição. Portugal Editorial Presença: Livraria Martins Fontes, s/d. (Cap. IX).

FERREIRA, Verônica. Trabalho e previdência social na pauta da luta por direitos. In Cadernos de Crítica Feminista, Ano I, n. 0, Recife, p. 74-82, dez. 2007.

HIRATA, Helena. Nova divisão sexual do trabalho? São Paulo: Boitempo, 2002.

_____. A crise mundial e o impacto da reestruturação produtiva na divisão sexual do trabalho. In: Divisão Sexual do Trabalho, Estado e Crise do Capitalismo. (Orgs.) COSTA, Albertina; [et al]. Recife, SOS CORPO, 2010.

HARVEY, David. Condição Pós-Moderna. São Paulo: Edições Loyola, 1992/1993.

IAMAMOTO, Marilda Villela. Trabalho e indivíduo social. São Paulo: Cortez, 2001.

IANNI, Octávio. A era do globalismo. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1997.

IBGE. ­­­­­Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD): Síntese de indicadores 2009. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.

LIMA, José Cristóvão de. Economia política: enfoques sobre a sociedade que produz e se reproduz. Rio Grande do Norte: Edições UERN, 2008.

LOJKINE, J. A revolução informacional. São Paulo: Cortez, 1995.

LUKÁCS, Gyorgy. História e consciência de classe: estudos sobre a dialética marxista. Porto: Escorpião, 1974.

MARCUSE, Herbert. Idéias para uma teoria crítica da sociedade. Rio de Janeiro, Zahar, 1981.

MARX, Karl. Manuscritos Econômico-Filosóficos. In: FROMM, Erich. O Conceito Marxista do Homem. 8a edição, Rio de Janeiro, Zahar, 1983.

__________. O Capital. Vol. 1. 3a edição, São Paulo, Nova Cultural, 1988.

MARX & ENGELS. Manifesto do Partido Comunista. São Paulo: Cortez, 1998.

MOTA, Ana Elizabete. Crise contemporânea e as transformações na produção capitalista. In: Serviço Social: direitos sociais e competências profissionais. CFESS/ ABEPSS, UNB. 2009.

NOGUEIRA, Cláudia Mazzei. O trabalho duplicado: a divisão sexual do trabalho na reprodução – um estudo das trabalhadoras do telemarketing. São Paulo, Expressão Popular, 2006.

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO. Homens e mulheres na esfera do trabalho. 2006. Disponível no site: www.oitbrasil.org.br/base_dados. Acessado em 15 de janeiro de 2014.

SAFFIOTI, Heleieth. Gênero, Patriarcado e violência. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2004.

_________. A mulher na sociedade de classes: mito e realidade. 2ª. Ed. Petrópolis: Vozes, 1979.

_______. Rearticulando Gênero e Classe Social. In: COSTA, Albertina de O. & BRUSCHINI, Cristina. Uma Questão de Gênero. Rio de Janeiro: Editora Rosa dos Tempos, 1992.

SANTOS, M. A. A reestruturação produtiva e seus impactos na saúde do trabalhador. Serviço Social e Sociedade. Nº 82. Editora Cortez: São Paulo, Julho de 2005.

SOUZA-LOBO, Elisabeth. A Classe operária tem dois sexos: trabalho, dominação e resistência. São Paulo: Perseu Abramo. Secretaria Municipal de Cultura e Brasiliense, 2011.

TALAHITE, Fatiha. Mundialização. In: HIRATA, Helena. [et al]. Dicionário crítico do feminismo. (Org.) São Paulo, UNESP, 2009.

TELES, Vera S. Direitos sociais: afinal do que se trata? Revista USP (37) 34-45. Março/maio, 1998. Universidade de São Paulo. São Paulo, 1998.

Publicado

2015-12-23

Como Citar

ALVES FELIPE, J. D. L. A REESTRUTURAÇÃO PRODUTIVA E O TRABALHO DAS MULHERES UMA ANÁLISE CRITICA. Gênero &amp; Direito, [S. l.], v. 4, n. 3, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/ged/article/view/25305. Acesso em: 24 abr. 2024.

Edição

Seção

Ensaios