MORINGA - Artes do Espetáculo https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa MORINGA é uma publicação semestral do Departamento de Artes Cênicas e do Mestrado Profissional em Artes (ProfArtes) do Centro de Comunicação, Turismo e Artes da Universidade Federal da Paraíba (CCTA-UFPB). Fomenta o diálogo interdisciplinar no campo das artes do espetáculo. Seus eixos de interesse situam-se tanto nos aspectos que compõem os processos de criação quanto nas poéticas que regem as artes espetaculares em suas relações com os distintos campos de produção cultural e demais áreas das humanidades. Este periódico permite, aos autores, a manutenção de direitos sem restrições. pt-BR Ao submeter um artigo à Revista Moringa - Artes do Espetáculo e tê-lo aprovado, os autores concordam em ceder, sem remuneração, os seguintes direitos à Revista: os direitos de primeira publicação e a permissão para que a Revista redistribua esse artigo e seus meta dados aos serviços de indexação e referência que seus editores julguem apropriados, conexos à licença Creative Commons (CC by), conforme link a seguir. http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt_BR tonezzi@hotmail.com (José Tonezzi) periodicos.ufpb@gmail.com (Portal de Periódicos da UFPB) Ter, 17 Dez 2019 14:13:44 +0000 OJS 3.1.2.1 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 CULTURA E CRIAÇÃO, ARTE E NATUREZA https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/50374 <p>Comentários e apresentação da edição.</p> José Tonezzi; Paula Coelho Copyright (c) 2019 MORINGA - Artes do Espetáculo http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/50374 Sex, 13 Dez 2019 00:00:00 +0000 PROPOSIÇÕES PARA UM MOVIMENTO MENOR https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49811 As proposições deste texto são orientações de um processo curatorial experimental em curso durante o ano de 2019, e que serve como o ativador da série de encontros que o SenseLab facilitará em diferentes países com o título de Movimentos Menores. Na exploração transversal do que essa série de encontros pode gerar, emerge a pergunta de como é possível dar conta da entrada do movimento menor no mundo. Um processo curatorial para a ativação de movimentos menores requer uma transformação do pressuposto de que existe um campo da arte e um campo da vida, quando o binarismo entre arte e vida é desfeito. O que importa não é se é ou não arte, mas como a experiência ou o acontecimento muda as condições da experiência. Quando a arte se torna a maneira e não o fim, os movimentos menores se tornam orientadores dos processos por vir. André Arias; Erin Manning Copyright (c) 2019 MORINGA - Artes do Espetáculo http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49811 Dom, 15 Dez 2019 00:00:00 +0000 ESFERA PÚBLICA ATRAVÉS DA PERFORMANCE https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49814 Entendemos a esfera pública como uma esfera discursiva da sociedade, que consiste na fala, em ações e movimentos dos cidadãos, nas “palavras e nos atos”, como diria Hannah Arendt, que se podem considerar articulações e expressões da ideologia. Para intervir politicamente, a esfera pública precisa de espaço público e, portanto, procura-o. O principal motivo que nos fez começar a investigar a esfera pública é nossa preocupação com a crise que atravessa, uma crise que não está apenas associada a uma privatização da esfera pública, em curso no capitalismo neoliberal, mas também vista, de uma maneira mais ampla, como uma crise de representação na democracia representativa. Ana Vujanović, Bojana Cvejić Copyright (c) 2019 MORINGA - Artes do Espetáculo http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49814 Ter, 17 Dez 2019 00:00:00 +0000 “NATUREZA”? UM SOBREVOO SOBRE ALGUNS MOMENTOS DA HISTÓRIA DA DANÇA OCIDENTAL DO SÉCULO XVIII E XX https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49815 A proposta deste texto é ressaltar dois períodos na história da dança ocidental, nos quais a questão da Natureza foi fundamental para articular pressupostos distintos no entendimento dos dois momentos da história da dança. Do século XVIII ao XX, registra-se a inquietação de artistas que se debruçavam no estudo da Natureza como ativador da compreensão do corpo, da dança, do gesto e do movimento. No século XVIII, interrogava-se sobre a natureza humana, suas emoções e como expressá-las, já no século XX buscava-se redescobrir o corpo a partir da Natureza. A questão que se lança é: como os artistas estão lidando com essa questão no século XXI? Ana Teixeira Copyright (c) 2019 MORINGA - Artes do Espetáculo http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49815 Dom, 15 Dez 2019 00:00:00 +0000 O CORPO E OS MAPAS DA ALTERIDADE https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49816 Há muitas bibliografias que têm discutido o tema da alteridade do ponto de vista político e filosófico. Tópicos como racismo, neurodiversidade e gênero têm reverberado amplamente nas discussões acadêmicas e outros fóruns. No entanto, pouco se discute acerca do papel da arte e do corpo nestes debates. Este artigo busca colaborar com este viés, deslocando o debate das práticas discursivas para o corpo em movimento e suas ações performativas. Christine Greiner Copyright (c) 2019 MORINGA - Artes do Espetáculo http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49816 Dom, 15 Dez 2019 00:00:00 +0000 NO QUE ESTÁ POR VIR, SEREMOS TODOS FILÓSOFOS-ENGENHEIROS-DANÇARINOS OU NÃO SEREMOS NADA https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49817 Este texto argumenta que, ante os desafios postos pelo que se convencionou chamar de Antropoceno – cuja manifestação mais dramática são as mudanças climáticas –, por um lado, e pela possibilidade de uma “explosão de superinteligência” no campo da inteligência artificial, por outro, três habilidades serão fundamentais para a existência das coletividades humanas no futuro: a de ser capaz de avaliação ética das novas possibilidades tecnológicas; a de ação reflexiva e criativa dentro de um contexto de incertezas incontornáveis; e habilidade para construir alianças pragmáticas com povos e formas de vida com os quais não se compartem regimes epistêmicos. Tais habilidades encarnam-se na figura do filósofo-engenheiro-dançarino, ou, mais apropriadamente, do eticista-bricoleur-coreógrafo. Renzo Taddei Copyright (c) 2019 MORINGA - Artes do Espetáculo http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49817 Dom, 15 Dez 2019 00:00:00 +0000 A DANÇA DOS OUTROS https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49823 Entendendo movimento como prática social, cultural e política, percebemos que nestes tempos sombrios algumas danças têm possibilitado o surgimento de poderosos atos criativos. A partir da observação de um conjunto de artistas negras e negros, que criam na contramão da engrenagem compressora de desejos, discutimos, à luz de alguns intelectuais basilares para a luta antirracista e a crítica cultural, fundamentos e formas de escritas de si que desconstroem estigmas coloniais, inserem a discussão crítica da diferença e possibilitam uma abordagem das identidades não como “pautas”, mas como reelaboração de existências e disputa de narrativas. Luciane Ramos-Silva Copyright (c) 2019 MORINGA - Artes do Espetáculo http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49823 Seg, 16 Dez 2019 00:00:00 +0000 AFECTOS EM PERFORMANCE https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49824 A performance, o teatro e a dança são lugares privilegiados para pensar os afectos e as suas particulares performatividades, isto é, o que (nos) fazem. Ao reforçar ou subverter as condições políticas, sociais e culturais do encontro na presença, eles podem mostrar outras formas de pensar a vida comum, afecto público e a autonomia do sujeito. Neste texto, abordarei o papel dos afectos no trabalho das seguintes artistas contemporâneas: Raquel André (Coleção de Amantes), Cláudia Müller (Dança Contemporânea em Domicílio) e Eleonora Fabião (Ações Cariocas). A partir de modelos de circulação de afecto, como o de Teresa Brennan, em The Transmission of Affect (2004), procurarei pensar como estas três criadoras configuram o encontro efêmero, dando especial atenção ao tipo de relação para o qual o espectador é convidado. Ana Pais Copyright (c) 2019 MORINGA - Artes do Espetáculo http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49824 Seg, 16 Dez 2019 00:00:00 +0000 DESCOLONIZAR A ARTE https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/50467 <p>Este artigo pretende, a partir de uma cartografia sobre o que seria uma arte comunitária ou arte comum, lançar questões sobre nomes, papéis e ações que podem ajudar a delimitar suas contradições e sua potência para construir o que entendemos como esfera pública. É crescente o discurso sobre descolonização em projetos artísticos ou curatoriais. No entanto, ainda são raras as formas de mudar essas práticas para encontrar outras maneiras de fazer e existir, criando em contextos tão desiguais, como encontramos na sociedade brasileira.</p> Marina Guzzo, Conrado Federici, Flávia Liberman Copyright (c) 2020 MORINGA - Artes do Espetáculo http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/50467 Qua, 29 Jan 2020 01:33:04 +0000 JACQUES RANCIÈRE E A MODERNIDADE DO MOVIMENTO https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49829 Este texto expõe alguns momentos da reflexão de Jacques Rancière em torno de uma “contra história da modernidade artística”, segundo a qual uma concepção renovada do movimento e da ação dramática teria surgido nos espetáculos de variedades e de dança em fins do século XIX, com reflexos na mecânica das performances no cinema mudo. Osvaldo Fontes Filho Copyright (c) 2019 MORINGA - Artes do Espetáculo http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49829 Seg, 16 Dez 2019 00:00:00 +0000 RIR DE SI https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49855 A pesquisa e o trabalho com a comicidade e suas técnicas vêm desenvolvendo formas potentes de presença. Nos processos de criação e produções do Coletivo Bonobando, “rir de si” tornou-se uma chave para atritar micro e macro políticas na cidade. Neste artigo, apresentarei procedimentos realizados em nossos processos, analisando-os a partir da relação entre comicidade e política, destacando a centralidade da noção de “brincadeira” em nosso trabalho. Adriana Schneider Alcure Copyright (c) 2019 MORINGA - Artes do Espetáculo http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49855 Seg, 16 Dez 2019 21:55:44 +0000 SE O ORDINÁRIO OCUPA O PALCO (E A SALA DE AULA) https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49857 O presente artigo analisa algumas peças teatrais quanto ao modo como expõem elementos do comum e do ordinário, oriundos da vida cotidiana, sugerindo implicitamente ao espectador uma percepção mais teatral de sua vida, e fomentando a produção de outras possibilidades de viver, alternativas aos modos hegemônicos de sentir. E estas peças podem ser subsídios a modos de ver a arte e a produção artística que sejam interessantes para a educação teatral em escolas. André Magela Copyright (c) 2019 MORINGA - Artes do Espetáculo http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49857 Seg, 16 Dez 2019 22:12:56 +0000 ROBERTO ALENCAR DO DESENHO À CENA E VICE-VERSA: A CONSTRUÇÃO DO CORPO GROTESCO https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49862 O artigo investiga os percursos de criação do artista do corpo Roberto Alencar, refletindo sobre a produção do grotesco em seu trajeto criativo, destacando as relações entre desenho e corpo. A análise foi elaborada por meio do estudo de documentos de processos criativos de Alencar, criados no desenvolvimento de seu trabalho, à luz das teorias de Cecília Almeida Salles sobre crítica de processos de criação, que tem como base a semiótica de C.S. Peirce e propõe diálogos com autores como Victor Hugo, Vsevolod Meyerhold e Mikhail Bakhtin. Wagner Miranda Dias Copyright (c) 2019 MORINGA - Artes do Espetáculo http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/49862 Ter, 17 Dez 2019 00:58:44 +0000