Direitos autorais na Internet: o caso do Google books

  • José Carlso Sales dos Santos

Resumo

Atualmente diversos estudiosos, a exemplo de Wolton, Castells, Lévy, endossam que a internet apresenta condições estruturais para a comunicação não-hierarquizada e não-regulamentada, na qual facultaria a emancipação informacional dos indivíduos a partir da rede mundial de computadores. Instauram-se, nestas observações, polêmicas quanto à utilização de informação/conteúdos informacionais disponíveis na internet. Desta forma, as produções artísticas, intelectuais e científicas disponíveis na rede pertenceriam, invariavelmente, aos indivíduos que as utilizam? A internet representaria mesmo um ambiente desregulamentado e libertário, irresistível ao laissez-faire dos usuários, desconsiderando os direitos intelectuais dos autores dessas produções? Constitui um grave equívoco quem acredita que as informações disponibilizadas em rede pertençam ao “domínio público”, ou mesmo preteridas pela lei de direitos autorais – mais especifico o direito autoral na internet. Esta assertiva constitui a principal celeuma entre os direitos dos autores (produtor intelectual de textos, imagens, audiovisuais, outros) e os indivíduos que apropriam dessas produções para a fruição pessoal e/ou comercial. Importante ressaltar, no entanto, que as essas “apropriações” indevidas podem indicar o desconhecimento da lei que protege os produtores intelectuais, contribuindo, consequentemente, para a violação destes direitos. No Brasil, a exemplo, parece não existir sanções incisivas para proteger os proprietários de obras intelectuais: a radiodifusão de músicas nas praias e ruas, a pirataria, o uso comercial de obras protegidas, entre outros, demonstram o verdadeiro descaso à lei que resguarda a produção intelectual. Palavras-chave: Direito autoral. Copyright na internet. Google books. Link para o texto completo (PDF) http://www.portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/4084/3662
Publicado
2012-08-09
Seção
Resumos de artigos científicos