O prontuário eletrônico do paciente no século XXI: contribuições necessárias da ciência da informação

  • Maria Cristina Barbosa Galvão USP
  • Ivan Luiz Marques Ricarte Unicamp

Resumo

A construção do prontuário eletrônico do paciente demanda metodologias informacionais e tecnológicas. Tem-se por objetivo levantar aquelas que podem ter resolubilidade por meio dos conhecimentos da ciência da informação e de seus profissionais. Como metodologia para elaborar o estudo, partiu-se do escopo de prontuário eletrônico do paciente estabelecendo-se conexões possíveis com o escopo da ciência da informação. Nestas conexões, combinaram-se os conhecimentos adquiridos por revisão da literatura, por observação de contextos de produção e uso do prontuário do paciente, por observação e análise de prontuários em diferentes suportes e em diferentes instituições, pelo contato direto com profissionais da saúde, da informação e da informática que trabalham diretamente com o prontuário do paciente, gestores, docentes e pesquisadores que fazem uso de prontuários de pacientes. O resultado descreve demandas informacionais e tecnológicas do prontuário eletrônico do paciente relacionadas aos processos de criação, comunicação, identificação, seleção, aquisição, organização e recuperação, armazenagem, preservação, análise e síntese, e avaliação da informação. Conclui-se que, no século XXI, o prontuário eletrônico do paciente, se considerado em sua dimensão local, regional, nacional e internacional, apresenta demandas propícias para a atuação propositiva do profissional da informação e constitui campo de pesquisa para que a ciência da informação, de um lado, contribua com a saúde e, de outro, amplie, teste e aperfeiçoe suas teorias, hipóteses e metodologias. Palavras chave: Prontuário eletrônico do paciente. Ciência da informação. Processos informacionais. Informação clínica. Link para o texto completo (PDF) http://revistas.ffclrp.usp.br/incid/article/view/80/pdf

Biografia do Autor

Maria Cristina Barbosa Galvão, USP
Doutora em Ciência da Informação pela Universidade de Brasília. Professora doutora da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo – USP.
Ivan Luiz Marques Ricarte, Unicamp
Livre-docente pela Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP. Professor associado da Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação da UNICAMP.
Publicado
2013-01-03
Seção
Resumos de artigos científicos