Comunidades de prática virtuais e a troca e criação de conhecimentos em micro e pequenas empresas

  • Patrícia Giselle Sarruf UFPR
  • Helena de Fátima Nunes Silva UFPR.

Resumo

Estudo sobre comunidades virtuais e sua relação com as comunidades de prática. Analisa se as comunidades virtuais que utilizam ferramentas colaborativas se constituem em comunidades de prática e contribuem no processo de troca e compartilhamento de conhecimentos no âmbito das micro e pequenas empresas. Utiliza entrevistas narrativas e observação em três comunidades virtuais (Rede Pequenas Empresas & Grandes Negócios, Grupo Gestão de Restaurantes e Comunidade Agentes Locais de Inovação). Elabora um diagnóstico dos grupos com base na observação, apoiada em um roteiro. Observa, descreve e analisa o domínio, a prática e as pessoas das comunidades virtuais, estabelecendo as interações com a teoria de Comunidades de Prática de Wenger (1998). Conclui que as ferramentas colaborativas possibilitam a troca de conhecimentos, pois propiciam a interação, permitem à narrativa e troca de experiências, o compartilhamento do conhecimento tácito para outro conhecimento tácito, promovendo assim a socialização, porém, a dedicação do usuário é imprescindível. As comunidades de prática virtuais, sendo bem coordenadas e utilizando ferramentas colaborativas propícias às necessidades de comunicação dos empresários, contribuem para troca de conhecimentos e desenvolvimento dos negócios. Palavras-chaves: Criação de conhecimento. Compartilhamento de conhecimento. Comunidades de Prática. Comunidades virtuais. Micro e pequenas empresas. Ferramentas colaborativas. Link para o texto completo (PDF) http://www.dgz.org.br/fev12/Art_02.htm

Biografia do Autor

Patrícia Giselle Sarruf, UFPR
Mestre em Ciência Gestão e Tecnologia da Informação UFPR, Pesquisadora.
Helena de Fátima Nunes Silva, UFPR.
Doutora em Engenharia da Produção UFSC. Professora titular do Departamento de Ciência e Gestão da Informação, UFPR.
Publicado
2013-04-22
Seção
Resumos de artigos científicos