A atividade de pesquisa: variáveis para projeto desenvolvidos em universidades

  • Rosana Oliveira Universidade Estadual de Londrina.
  • Ana Esmeralda Carelli Universidade Estadual de Londrina.

Resumo

Introdução: Trata sobre a trajetória da qualidade nas bibliotecas brasileiras ao longo das últimas décadas, sobre as mudanças de paradigma, as características relacionadas com o ‘ideal de qualidade em bibliotecas’ e sobre a busca pela qualidade em bibliotecas brasileiras no âmbito da gestão orientada à qualidade. Objetivo: Apresentar possíveis variáveis para a atividade de pesquisa, a partir de projetos desenvolvidos em universidades brasileiras, contemplando o foco da acessibilidade e da visibilidade à informação institucional. Metodologia: Pesquisa documental e exploratória que utilizou a análise quantitativa e outros métodos de estudo como o observacional, o comparativo e o estatístico para a coleta, análise e interpretação dos dados. Resultados: As variáveis observadas e apresentadas por meio de mapas conceituais, para uma melhor visualização, remetem aos Recursos Humanos e Recursos Financeiros alocados para a atividade de pesquisa e à Produtividade Científica resultante. As variáveis referentes a recursos humanos remetem ao pessoal envolvido em pesquisa, sejam: Estudantes de Graduação/bolsistas de IC, do Mestrado e/ou do Doutorado; Pesquisadores por titulação atuando em pesquisa; Docentes por gênero; Pesquisadores orientadores; Pessoal técnico e participantes externos; membros de banca, autores e coautores. As variáveis referentes aos recursos financeiros remetem às agências de fomento que investem em pesquisa, aos pesquisadores, bolsistas e aos cursos de pós-graduação que recebem investimentos. Produtividade Científica remete à produção gerada pela pesquisa, seja técnica, acadêmica, bibliográfica e/ou artística em diversos tipos de publicações e disseminadas em livros, artigos, trabalhos técnicos e científicos, relatórios, teses, dissertações, patentes, entre outros. Conclusões: Os assuntos: Padronização em Bibliotecas; Formação e Desenvolvimento de Coleções; Estudos de Uso e de Usuários; Automação dos Sistemas de Informação, Marketing de Bibliotecas e Gestão da Qualidade relacionam-se com as dimensões e características da qualidade, aplicadas às bibliotecas. Pois, as inúmeras abordagens temáticas ao longo dos anos demonstram que a trajetória da excelência e da qualidade em bibliotecas brasileiras tem sido incorporada nos modelos de gestão em bibliotecas. Palavras-chave: Informação institucional. Projetos de pesquisa. Dados quantitativos. Atividade de pesquisa - variáveis. Link para o texto completo (PDF) http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/infoprof/article/view/14597/12256

Biografia do Autor

Rosana Oliveira, Universidade Estadual de Londrina.
Mestre em Gestão da Informação pela Universidade Estadual de Londrina. Técnico de Assuntos Universitários da Universidade Estadual de Londrina.
Ana Esmeralda Carelli, Universidade Estadual de Londrina.
Doutora em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Londrina. Professora Adjunto do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina.
Publicado
2013-12-28
Seção
Resumos de artigos científicos