O processo de cocriação de experiências em plataformas de engajamento

  • Dafne Fonseca Arbex UFSC.
  • Kamil Giglio UFSC.
  • Richard Perassi UFSC.
  • Gregório Jean Varvakis UFSC.

Resumo

O artigo tem por objetivo contextualizar a cocriação como um fenômeno da atualidade e como consequência da expansão e inovação tecnológica. Para tal, o trabalho foca-se no processo de elaboração de experiências de valor em conjunto com o usuário para a criação de novos produtos. Como procedimentos metodológicos realizou-se uma pesquisa bibliográfica e descritiva para compreender como são criadas e compartilhadas tais experiências nos ambientes virtuais. Consequentemente, para demonstrar os diferentes tipos de ambientes propícios à criação de experiências, entre usuários e organizações, foram eleitos e analisados quatro estudos de caso. Os mecanismos de análise escolhido foram: Dialogo Acesso, Risco e Transparência, por serem mais recorrentes nas pesquisas que envolvem a criação de experiência de valor junto com o usuário final. Como resultado, constatou-se que os ambientes interativos, denominados de “plataformas de engajamento”, possuem estratégias diferenciadas que atendem e promovem a interação entre os atores como potencial para a inovação. Palavras-chave: Cocriação. Plataformas de engajamento. Interação. Inovação. Ambientes virtuais. Compartilhamento do conhecimento. Link para o texto completo (HTM) http://dgz.org.br/jun13/Art_03.htmDafne F. Arbex

Biografia do Autor

Dafne Fonseca Arbex, UFSC.
Doutoranda do programa de pós-graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da UFSC.
Kamil Giglio, UFSC.
Doutorando do programa de pós-graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da UFSC.
Richard Perassi, UFSC.
Professor Doutor do programa de pós-graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da UFSC.
Gregório Jean Varvakis, UFSC.
Professor Doutor do programa de pós-graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da UFSC.
Publicado
2014-03-29
Seção
Resumos de artigos científicos