Gestão da Informação e do Conhecimento no âmbito das práticas de Segurança da Informação: O fator humano nas organizações

  • Luciana Emirena Santos Carneiro Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
  • Maurício Barcellos Almeida Universidade Federal de Minas Gerais

Resumo

A segurança dos ativos informacionais sempre foi uma necessidade corporativa. Esses ativos podem ser dimensionados em três esferas principais, a saber, as pessoas, os processos organizacionais e as tecnologias. A internet, a difusão da web, as redes, além da presença cada vez mais marcante das tecnologias na vida das pessoas e das organizações têm provocado profundas transformações nos processos intrínsecos às rotinas pessoais e organizacionais. Essas mudanças promovidas pelos avanços tecnológicos têm gerado maior competitividade e descentralização e, em contrapartida, necessidade de gestão, controle, segurança e a proteção das informações e do conhecimento. Este artigo apresenta os resultados de uma investigação sobre segurança da informação, enfatizando a interferência dos aspectos humanos nas práticas de gestão da informação e do conhecimento relacionadas à segurança informacional. Através de uma pesquisa quali-quantitativa são identificados perfis e ações comportamentais dos colaboradores de uma empresa da área de saúde e sua inter-relação com falhas de segurança da informação. Conclui-se que o elemento “pessoas” é uma variável importante, até mesmo crítica, para a gestão de segurança informacional nas organizações. Palavras-chave: Segurança da Informação. Gestão da Informação e do Conhecimento. Comportamento Informacional. Link para o texto completo (PDF) https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2013v18n37p175/25837

Biografia do Autor

Luciana Emirena Santos Carneiro, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.
Maurício Barcellos Almeida, Universidade Federal de Minas Gerais
Universidade Federal de Minas Gerais.
Publicado
2014-06-21
Seção
Resumos de artigos científicos