Bibliotecas e bibliotecários no Second Life: discussões

  • Maíra Prado da Silva Universidade Estadual Paulista
  • Heloá Cristina Camargo de Oliveira niversidade Estadual Paulista

Resumo

Introdução: O Second life é uma plataforma virtual tridimensional (3D) desenvolvida pela Liden Research Inc., em junho de 2003. Desde 2006, projetos incluindo bibliotecas e bibliotecários vêem sendo desenvolvidos nesse ambiente. As bibliotecas no ambiente virtual ganham espaço na medida em que instituições e órgãos representativos perceberam que o mundo virtual permite potencializar as curvas de aprendizagem de usuários e funcionários. Objetivo: Propõe-se apresentar e discutir o ambiente do SL, seus benefícios e desafios sob o ponto de vista das bibliotecas existentes e dos bibliotecários atuantes. Metodologia: Foi utilizada a literatura com aporte teórico, buscando-se uma reflexão da importância da inserção desse ambiente virtual em expansão para a atuação do bibliotecário em ambientes virtuais de aprendizagem. Resultados: Percebeu-se que esses ambientes trazem o benefício do baixo custo em comparação com estruturas físicas, além da quebra das barreiras geográficas. Identificou-se, também, que as atividades realizadas nesses ambientes podem subsidiar experimentos de possíveis serviços e produtos que possam ser incorporados em organizações já existentes fisicamente. Conclusão: A crescente popularização de ambientes como o Second Life estabelece um novo posto de atuação ao profissional da informação. Muitos são os desafios que o profissional encontrará ao adentrar em tal realidade, porém, é necessário manter-se em vanguarda e procurar desenvolver as habilidades necessárias e aproveitar o máximo da experiência que pode ser desenvolvida. Palavras-chave: Second Life. Ambientes Virtuais de Aprendizagem. Bibliotecas. Bibliotecários. Desafios na atuação profissional. Link para o texto completo (PDF) http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/16164/13088

Biografia do Autor

Maíra Prado da Silva, Universidade Estadual Paulista
Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Estadual Paulista (UNESP/Marília). Bolsista CAPES.
Heloá Cristina Camargo de Oliveira, niversidade Estadual Paulista
Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Estadual Paulista (UNESP/Marília).
Publicado
2014-06-28
Seção
Resumos de artigos científicos