Razão, ciência e os sentidos da informação

  • Marivalde Moacir Francelin Universidade de São Paulo

Resumo

O principal objetivo do artigo é analisar os sentidos da informação no complexo contexto da razão e da ciência na contemporaneidade. É um estudo exploratório com base em revisão de literatura. Parte da hipótese de que algumas ciências tentam individualizar seus objetos na tentativa de cumprir protocolos de rigorosidade, distanciando-se das discussões sobre razão e experiência. Procura-se, nesse caso, identificar erros e desvios epistemológicos decorridos do princípio da razão emprestada. Esse tipo de razão emprestada é vista equivocadamente como portadora da objetividade científica. Nesse sentido, o artigo procura argumentar que a razão objetiva não pode individualizar alguns objetos constituídos de fenômenos coletivos. Introduz discussão sobre o domínio das técnicas e os prejuízos da troca da razão por uma ciência protocolar. Coloca em questão a noção de razão metafórica no lugar da razão tradicional quando os significados e sentidos da informação estiverem ameaçados por restrições epistemológicas. Como conclusão, sugere que as ciências precisam se projetar em outras realidades para entender seus objetos e, principalmente, precisam analisar criticamente as condições, boas ou más, de suas reduções. Palavras-chave: Razão. Ciência. Tecnociência. Sentidos da Informação. Link para o texto completo (HTM) http://dgz.org.br/ago13/Art_07.htm

Biografia do Autor

Marivalde Moacir Francelin, Universidade de São Paulo
Doutor em Ciência da Informação. Professor do Departamento de Biblioteconomia e Documentação da Universidade de São Paulo.
Publicado
2014-06-28
Seção
Resumos de artigos científicos