Fenomenologia versus Filosofia da Diferença: a Biblioterapia em questão

  • Solange Puntel Mostafa USP
  • Denise Viuniski da Nova Cruz UNIVALI
  • Felipe Etelvino Benevenutto

Resumo

A Biblioterapia pode ser compreendida como a expansão propiciada pelo ato de leitura que então porta uma função terapêutica. Como campo multidisciplinar diz respeito à psicologia, pedagogia, história, letras, medicina e ciência da informação. Uma pesquisa do termo “biblioterapia” na base de dados ABRAPCI apresentou vinte e dois trabalhos dedicados ao tema, artigos científicos em sua maioria cujos títulos evidenciam o aspecto terapêutico. Nosso objetivo é contrastar a abordagem fenomenológica da literatura brasileira em Biblioterapia com a filosofia da diferença praticada por Gilles Deleuze e Félix Guattari no tema das narrativas biblioterapêuticas. Porque? Para ampliar as bases teóricas presentes na Medicina Narrativa, na Biblioterapia, na História Oral e na área de Leitura desenvolvida pela Biblioteconomia e pela Ciência da Informação. Palavras-chave: Biblioterapia. Fenomenologia. Filosofia da diferença. Gestão de leitura. Ciência da informação. Medicina narrativa. Link para o texto completo (HTM) http://dgz.org.br/dez13/Art_03.htm

Biografia do Autor

Solange Puntel Mostafa, USP
Doutora em Educação (Filosofia da Educação) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Professora associada da USP, Ribeirão Preto.
Denise Viuniski da Nova Cruz, UNIVALI
Doutoranda em Educação UNIVALI, SC.
Publicado
2014-06-28
Seção
Resumos de artigos científicos