Entre exemplaridade e legalidade: o paradigma e a economia da inovação, um interstício epistemológico na ciência da informação

  • Vinícios Souza de Menezes Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ.

Resumo

O paradigma é puramente linguístico (paradeigma), um exemplo; se dá por analogia e entre singularidades. A episteme da legalidade baseia o paradigma em conformidades, em geral, numa relação de adequação (adequatio) universal-particular. O texto trata da tensão interpretativa entre a exemplaridade e a legalidade do paradigma e da inovação, com especial atenção para a teoria kuhniana em contraposição ao desdobramento interpretativo da economia da inovação, ambos com vultos discursivos na Ciência da Informação. No âmbito dos debates epistemológicos e econômicos da Ciência da Informação, coloca-se em questão a leitura regida pelos meios dinheiro e poder da economia da inovação, tendo como contraponto uma leitura político epistemológica do paradigma baseada na linguagem. Envolvida por esse interstício, o discurso da Ciência da Informação, por vezes, tende a ler e replicar o paradigma e a inovação como uma adequação (regula) estrutural, permanecendo latente aquilo que lhe é exemplar, a sua linguagem não sistêmica.

 

Palavras-chave: Paradigma. Inovação. Economia da Inovação. Ciência da Informação. Linguagem.

 

Link para o texto completo (PDF)

http://www.revistas.usp.br/incid/article/view/77924

Biografia do Autor

Vinícios Souza de Menezes, Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ.
Doutorando em Ciência da Informação pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT).
Publicado
2015-03-12
Seção
Resumos de artigos científicos