Do gênesis ao clímax: um levantamento bibliográfico (não) definitivo sobre o processo criativo

  • Mauricio Barth Universidade Feevale
  • Cristiano Max Pereira Pinheiro Universidade Feevale
  • André Conti Silva Universidade Feevale

Resumo

O artigo em questão visa, sobretudo, apresentar e analisar conceitos que envolvem o processo criativo em suas distintas revelações, abordando visões de diferentes pesquisadores e, consequentemente, de díspares segmentos de estudo. Para tanto, são expostos conceitos de Amabile (1993), Amabile e Pillemer (2011), Anzieu (1981), Howkins (2005), Kneller (1978), Osborn (1987), Rodriguez Estrada (1992), Torrance (1976) e Von Oech (1999). Ao fim do trabalho, constata-se que, embora usem nomenclaturas dissemelhantes, as etapas do processo criativo, segundo os pesquisadores analisados, em muito se parecem; há, inclusive, uma ampla referência à etapa denominada “incubação”.

Biografia do Autor

Mauricio Barth, Universidade Feevale
Mestre em Indústria Criativa e professor nos cursos técnicos em Publicidade, Produção de Áudio e Vídeo e Comunicação Visual da Universidade Feevale. E-mail: mauricio@feevale.br.
Cristiano Max Pereira Pinheiro, Universidade Feevale
Doutor em Comunicação Social pela PUCRS. Coordenador do Laboratório de Criatividade e professor do Mestrado em Indústria Criativa da Universidade Feevale. E-mail: maxrs@feevale.br.
André Conti Silva, Universidade Feevale
Doutorando em Design pela UFRGS. Professor nos cursos de Publicidade, Design e Moda da Universidade Feevale. E-mail: andrec@feevale.br.
Publicado
2015-10-05
Seção
Pesquisas em andamento