A delimitação das Ciências Sociais para estudos quantitativos de artigos

  • Tatiane Ferreira Vilarinho Universidade de Brasília.
  • Suzana Pinheiro Machado Mueller Universidade de Brasília.

Resumo

Autores que escrevem sobre as ciências sociais mostram pouco consenso na identificação de suas disciplinas, uma dificuldade para estudos bibliométricos. Pretende-se contribuir para a questão por meio da busca de fatos na história das ciências sociais modernas, que possam orientar escolhas. O texto base foi o Relatório Gulbenkian, datado de 1996, complementado por outros autores. O levantamento mostra a relação das ciências sociais com as demandas do Estados europeus, nas sua origem e evolução. No início do século 20 as principais disciplinas sociais estavam bem definidas como disciplinas universitárias autônomas, mas após 1945, ocorrem transposição de fronteiras e colaboração entre áreas. Grupos sociais antes excluídos provocam a emergência de novas disciplinas, expandindo as ciências sociais. O texto conclui atribuindo a dificuldade da identificação das ciências sociais à sensibilidade às necessidades do Estado e grupos na sociedade, portanto uma característica que as conservará sempre em mutação. 

 

Palavras chave: Ciências Sociais em estudos bibliometricos. Fundação Calouste Gulbenkian. Relatório sobre ciências sociais. Disciplinas sociais.

 

Link para o texto completo em PDF:

http://dgz.org.br/abr15/Art_04.htm

 

 

Biografia do Autor

Tatiane Ferreira Vilarinho, Universidade de Brasília.
Mestre em Ciência da Informação pela Universidade de Brasília. Doutoranda em Ciência da Informação da Universidade de Brasília.
Suzana Pinheiro Machado Mueller, Universidade de Brasília.
Doutora em Ciência da Informação pela University of Sheffield. Professora Emérita da Universidade de Brasília no Programa de Pós-Graduação em Ciência da informação.
Publicado
2015-11-17
Seção
Resumos de artigos científicos