Uma arqueologia biblioteconômica: paradigmas, rastros e discursos

  • Mário Gouveia Junior Universidade do Porto
  • Diego Andres Salcedo Universidade Federal do Pernambuco

Resumo

Discute a proposição, vigência e mudança de paradigmas nas relações de mediação de informação. Apresenta as tradições, emergência, histórico e consolidação da Biblioteconomia, recorrendo às pistas guinzburguianas acerca do que foi dito e registrado. Respaldado na perspectiva foucaultiana, e nas pistas do não-dito, em torno de uma arqueologia do saber, relativiza tanto a necessidade de buscar o seu objeto de estudo, para além das noções humanistas e tecnicistas custodialistas e seus paradigmas infocomunicacionais, quanto o imperativo de esta área se impor em meio a outros campos do conhecimento que tratam da informação. Recorre a uma pesquisa exploratória interdisciplinar. Espera-se apresentar uma projeção do que a Biblioteconomia, seus discursos e práticas podem representar.

PALAVRAS-CHAVE: Biblioteconomia. Cientificidade. Pragmatismo. Paradigmas.Arqueologia do Saber. Link: http://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/8639481/9902

Biografia do Autor

Mário Gouveia Junior, Universidade do Porto

Doutorando em Informação e Comunicação em Plataformas Digitais (Universidade do Porto e Universidade de Aveiro).

Diego Andres Salcedo, Universidade Federal do Pernambuco

Professor no Departamento de Ciência da Informação da Universidade Federal do Pernambuco.

 

Publicado
2016-11-07
Seção
Resumos de artigos científicos