Os nativos digitais e as bibliotecas universitárias: um paralelo entre o novo perfil do usuário e os produtos e serviços informacionais

  • Thais Batista Zaninelli Universidade Estadual de Londrina
  • Maria Inês Tomaél Universidade Estadual de Londrina
  • Eliane Maria Silva Jovanovich Mestra em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina
  • Ramon Fernandes Lourenço Universidade Estadual de Londrina
  • Elismar Vicente Reis Universidade Estadual de Londrina

Resumo

Introdução: a proposta desse artigo é analisar de que forma os nativos digitais podem influenciar os serviços informacionais no âmbito das Bibliotecas Universitárias (BUs). Objetivos: os objetivos foram caracterizar os nativos digitais; verificar o formato atual das bibliotecas universitárias no que tange a infraestrutura, ao serviço e ao pessoal; analisar de que forma as características dos nativos digitais podem influenciar os futuros serviços das bibliotecas.
Metodologia: pesquisa bibliográfica. Resultados: os atuais usuários das BUs, são categorizados no contexto dos nativos digitais devido à maioria ter nascido a partir de 1978 e, portanto, grande parte dessa população estar na idade de frequentar o ambiente acadêmico. Essa fatia de usuários caracteriza-se por ter um perfil contemporâneo, por se comunicar basicamente de forma virtual, busca informação de forma online e em formato digital, mas, ao mesmo tempo, procura ambientes alternativos e colaborativos para realizar suas atividades acadêmicas em espaços físicos. Esses usuários preferem se reunir em horários alternativos e ambicionam serviços que atendam suas necessidades não só informacionais, mas também de lazer. Conclusões: percebe-se que as BUs estão mais à frente no que tange à realização não só das necessidades informacionais dos usuários nativos digitais, mas também de realizarem os seus desejos referentes ao consumo da informação. Muitas das bibliotecas já oferecem espaços colaborativos de estudo, para além dos individuais, estabelecem parcerias verticais com empresas de TI e centros culturais, de modo a atenderem as atuais necessidades da geração digital.

Palavras Chave: Nativos Digitais. Serviços e Produtos de informação. Bibliotecas
Universitárias.

Link: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/25861/20733

Biografia do Autor

Thais Batista Zaninelli, Universidade Estadual de Londrina

Doutora pelo Programa Doutoral em Engenharia Industrial e Gestão do Departamento de Engenharia Industrial da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Docente do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Maria Inês Tomaél, Universidade Estadual de Londrina

Doutora em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Docente do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Eliane Maria Silva Jovanovich, Mestra em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina

Mestra em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Ramon Fernandes Lourenço, Universidade Estadual de Londrina

Mestrando em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Elismar Vicente Reis, Universidade Estadual de Londrina

Mestre em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Publicado
2017-06-21
Seção
Resumos de artigos científicos