Aproximações entre Certeau, Winnicott e o antropofagismo cultural

  • Alessandro Melo Bacchini Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
  • Alysson Bruno Martins Assunção Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
  • Junia de Vilhena Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
  • Maria Inês Garcia de Freitas Bittencourt Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Resumo

O texto apresenta uma análise da expressão poética e identitária de elementos ligados à música popular brasileira, a partir de uma reflexão sobre as teorias do Modernismo e suas aproximações com as obras de pensadores como Michel De Certeau e Donald Winnicott. Tal esforço é direcionado a um objeto cultural, “A prosa impúrpura do Caicó”, de autoria de Chico César. A partir da análise de conteúdo, percebeu-se que o compositor utiliza a paródia e o antropofagismo como estratégia político-ideológica de apropriação da cultura dominante e de refuta ao cânone estabelecido, construindo elementos novos que se remetem à apropriação, à bricolagem e aos sentidos do brincar.

Palavras-chave: Música Popular Brasileira. Antropofagismo. Bricolagem. Tropicalismo. Chico César.

Link: http://seer.ufrgs.br/index.php/intexto/article/view/56499

Biografia do Autor

Alessandro Melo Bacchini, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Doutor em Psicologia Clínica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), Mestre em Psicologia Clínica e Social pela Universidade Federal do Pará (UFPA); Especialista em Psicologia da Saúde/Hospitalar pelo Instituto de Ensino e Pesquisa em Psicologia ? IEPS (2011) e Psicólogo pela Universidade da Amazônia - UNAMA (2009), membro do Laboratório de Psicanálise e Psicopatologia Fundamental (LPPF ? Belém/PA) e pesquisador Associado do Laboratório Interdisciplinar de Pesquisa e Intervenção Social
Alysson Bruno Martins Assunção, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
É mestre em Ciências Sociais Aplicadas / Comunicação Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (PPGCOM/UERJ - 2013), especialista em Jornalismo Literário (ABJL-SP - 2008) e Psicologia Clínica (IBAC-DF - 2008). Possui graduação em Comunicação Social pela Universidade Federal de Goiás (UFG - 2007), e Psicologia pela Pontífícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO - 2007). Cursa mestrado profissional em Sistemas de Gestão Pela Universidade Federal Fluminense (UFF), com previsão de conclusão em 2017.
Junia de Vilhena, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
É psicanalista, possui graduação em Psicologia - George Washington University, mestrado em Ciências Sociais- Catholic University Of America e doutorado em Psicologia Clínica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1984). Atualmente é professor associado da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.
Maria Inês Garcia de Freitas Bittencourt, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Possui graduação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1971), mestrado em Psicologia (Psicologia Clínica) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1980) e doutorado em Psicologia (Psicologia Clínica) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2002). Atualmente é professor assistente da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, atuando nos cursos de Graduação e Pós-graduação.
Publicado
2017-06-21
Seção
Resumos de artigos científicos