A bibliotecária dinamarquesa e a negociação cultural: novo paradigma para a mediação e apropriação da informação

  • Amanda Leal de Oliveira CBD/ECA/USP

Resumo

Introdução: Apresenta resultados de tese de doutoramento. Objetivo: contribuir para a definição e desenvolvimento do conceito de “negociação cultural”, compreendido como categoria teorico-metodológica fundamental aos processos de mediação voltados à apropriação da informação. Metodologia: Foi utilizada metodologia colaborativa, processo de construção científica baseado na interlocução entre saberes e fazeres científicos e “da ação”, adotando-se, porém, perspectiva que não reduz ou sobrepõe uns aos outros. Resultados: Os resultados mostram que, reconhecendo e incorporando a seus conceitos e processos os conflitos provocados pelas divergências e/ou assimetrias existentes entre os diferentes sujeitos, grupos, segmentos, categorias, matrizes socioculturais (leitores/não-leitores, tradição oral/cultura escrita), o dispositivo apresentado (biblioteca pública na Dinamarca), diferentemente de outros do mesmo teor, mais que instâncias de controle e/ou de difusão, são instâncias de negociação cultural, envolvendo sujeitos, textos e contextos em processos ativos, complexos e afirmativos de apropriação de informação e cultura, incluída aí - mas não exclusivamente - a cultura escrita. Conclusões: O conceito de negociação cultural aponta, portanto, para perspectivas novas, tanto em relação à apropriação da cultura escrita, como da cultura em geral. Dá mostras, ao mesmo tempo, de poder contribuir para a redefinição indispensável de práticas e conceitos de mediação da informação e seus paradigmas.

Palavras-chave: Mediação; Negociação cultural; Apropriação; Biblioteca; Cultura escrita

Link: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/infoprof/article/view/28317/20514

Biografia do Autor

Amanda Leal de Oliveira, CBD/ECA/USP
Doutora em Ciência da Informação (ECA/USP). Pesquisadora do ColaborI (CBD/ECA/USP)
Publicado
2017-06-21
Seção
Resumos de artigos científicos