Preservação de documentos digitais: reflexões sobre as estratégias de refrescamento.

  • Henrique Machado dos Santos Universidade Federal de Santa Maria.
  • Daniel Flores Universidade Federal de Santa Maria.

Resumo

O advento das tecnologias da informação ocasionou a demanda por documentos digitais, com isto, uma quantidade significativa de documentos com necessidades de preservação em longo prazo começou a ser produzida exclusivamente em meio digital. Entretanto, o cenário das tecnologias é marcado por constantes avanços que vão deixando as tecnologias obsoletas em ciclos cada vez mais curtos. Este artigo aborda as manifestações da obsolescência em nível de suporte e tem como objetivo realizar uma reflexão sobre as estratégias de refrescamento. Desta forma, são enfatizadas práticas desta estratégia que minimizam os impactos da obsolescência tecnológica. O método utilizado consiste na revisão de materiais previamente publicados, os dados coletados são analisados de forma qualitativa e posteriormente discutem-se as vantagens e desvantagens do refrescamento. Por fim, destaca-se o papel fundamental do refrescamento na preservação em longo prazo e apontam-se algumas limitações quanto a sua implementação. Palavras-chave: Refrescamento. Preservação digital. Obsolescência tecnológica. Documento digital. Link: https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/449/641 

Biografia do Autor

Henrique Machado dos Santos, Universidade Federal de Santa Maria.
Mestre em Patrimônio Cultural pela Universidade Federal de Santa Maria.
Daniel Flores, Universidade Federal de Santa Maria.
Doutor em Documentação pela Universidade de Salamanca. Professor Adjunto do Departamento de Documentação da Universidade Federal de Santa Maria
Publicado
2018-05-07
Seção
Resumos de artigos científicos