Da informática à tecnologia da informação: dependência, reserva de mercado e suas implicações político-econômicas

  • Ronaldo Ferreira de Araújo UFAL
  • Marlene Oliveira UFMG'

Resumo

Nos rumos da evolução do componente tecnológico na contemporaneidade, a reconhecida era da informação e sua correspondente sociedade da informação já foram também consideradas era da informática e, por sua vez, sociedade da informática. Com o passar do tempo, disciplinas comumente associadas à aplicação da ciência da computação, em conjunto com outros campos de conhecimento, perderam sua alcunha coletiva consagrada, a informática, por um novo termo, o da tecnologia da informação. O artigo discorre sobre o percurso da informática à noção de tecnologia da informação, e reúne, brevemente, elementos que identificam o componente tecnológico, localizados em aspectos políticos, econômicos e sociais do país, para então compreender as implicações dos caminhos tomados. A informática no Brasil é retratada em seus aspectos históricos de dependência e reserva de mercado, abordando-se as implicações políticas dessa postura. As descontinuidades dos programas e governos apontam para uma tímida (ou mesmo inexistente) política nacional de tecnologia da informação no país, e colocam ao centro o aspecto econômico em detrimento dos demais.

Palavras-chave: Informática. Tecnologia da Informação. Política Nacional de Informática.

Link: http://revista.ibict.br/liinc/article/view/3941/3395 

Biografia do Autor

Ronaldo Ferreira de Araújo, UFAL
Doutor em Ciência da Informação, Universidade Federal de Minas Gerais. Professor adjunto do curso de Biblioteconomia, Instituto de Ciências Humanas, Comunicação e Artes da Universidade Federal de Alagoas.
Marlene Oliveira, UFMG'
Doutora em Ciência da Informação, Universidade de Brasília. Professora associada II, Programa de Pós-Graduação em Organização e Gestão do Conhecimento, Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Ciência da Informação.
Publicado
2018-05-07
Seção
Resumos de artigos científicos