O bibliotecário escolar diante dos nativos digitais

  • Raquel Miranda Vilela Paiva Universidade Federal de Minas Gerais
  • Adriana Bogliolo Sirihal Duarte Universidade Federal de Minas Gerais

Resumo

A biblioteca no contexto escolar possui especificidades a que o profissional deve estar atento. Sua atuação deve ir além do tecnicismo biblioteconômico, utilizando-se de elementos pedagógicos e de acordo com as necessidades dos usuários, sendo os mais representativos os alunos da escola. As crianças e jovens que estão atualmente nas escolas podem ser chamados de nativos digitais e possuem uma relação distinta com a informação. O presente trabalho visa justamente conhecer a percepção e o imaginário de um bibliotecário escolar sobre os nativos digitais, e isso é feito adotando-se a metodologia de associação de palavras. O experimento de associação de palavras é utilizado na psicologia e o trabalho se baseou nas premissas de Carl Jung e na sua forma de aplicação do experimento. A associação de palavras pretende ser um caminho de acesso ao inconsciente do pesquisado. O experimento demonstrou que o universo dos nativos digitais ainda é novo e pouco conhecido do bibliotecário, mas nota-se uma preocupação do profissional em sua atuação com esses jovens e crianças. Conclui-se que é necessário o desenvolvimento de mais estudos e a promoção de debates sobre o tema dos nativos digitais e sua inserção na biblioteca escolar.

Palavras-chave: Biblioteca Escolar. Bibliotecário Escolar. Nativos Digitais. Associação de Palavras.

Link: https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/854/837

Biografia do Autor

Raquel Miranda Vilela Paiva, Universidade Federal de Minas Gerais
Doutoranda em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais
Adriana Bogliolo Sirihal Duarte, Universidade Federal de Minas Gerais
Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais
Publicado
2018-06-28
Seção
Resumos de artigos científicos