Competências e campos emergentes para atuação de bibliotecários

  • Fabriele da Silva Freire Universidade Federal do Amazonas (UFAM).
  • Jorge Luiz Cativo Alauzo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia.
  • Daniela Fernanda de Assis Spudeit Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

Resumo

Discute sobre as principais competências exigidas para a atuação de bibliotecários em diferentes campos de atuação profissional do mercado de trabalho. O artigo tem o objetivo de relacionar as principais competências ligadas a campos emergentes de atuação que podem ser ocupados por bibliotecários. Para o alcance desse objetivo, identifica e relaciona a partir de fontes da literatura impressa e eletrônica, aspectos e definições sobre alguns campos de atuação não tradicionais e autores que associam competências relativas a esses campos. Justifica-se pela necessidade de bibliotecários cada vez mais engajados e cientes das oportunidades de atuação não apenas nas bibliotecas diante de mudanças no mercado de trabalho. Além disso, considera o surgimento de novos nichos profissionais envolvendo processos informacionais. Metodologicamente trata-se de uma pesquisa exploratória - investigando melhor o tema - e bibliográfica já que pretende levantar à luz da literatura os principais materiais já publicados em livros, teses e dissertações, eventos nacionais e publicações eletrônicas da área da Biblioteconomia e Ciência da Informação. Analisando os resultados, traçou-se um breve panorama relacionando as principais competências exigidas na atuação dos bibliotecários nos seguintes campos não-tradicionais: a) Editoração eletrônica e seus aspectos envolvendo o conteúdo digital; b) Consultoria informacional para auxiliar gestores na busca de informações de qualidade e apoiar a tomada de decisão; c) Docência e a necessidade de atuação de um profissional diferenciado e com domínio de estratégias pedagógicas no processo de ensino aprendizagem; d) Implementação e gestão de repositórios digitais e a gama de atividades envolvendo a presença proativa do bibliotecário na implementação de políticas, na definição de metadados, direitos autorais e processos técnicos que culminam com o autoarquivamento e disponibilidade de diferentes tipos de materiais; e) Empresas de comércio eletrônico que surgem como mecanismos permitindo a oferta e comercialização de produtos e serviços, gerando renda extra e traçando um perfil do bibliotecário em um ambiente digital. Conclui-se que embora existam frentes de trabalho nas quais os bibliotecários possam atuar, são inúmeras as competências necessárias a esses profissionais a partir do advento das tecnologias e das mudanças no ciclo de produção informacional. Esperase que outros campos sejam investigados, complementando essa pesquisa alertando estudantes e profissionais acerca da real necessidade de bibliotecários também atuarem em frentes de trabalho ligadas à arquitetura da informação, empresas privadas, provedores de internet, bancos de dados, portais de periódicos, gestão de ações culturais ou até mesmo iniciativas empreendedoras autônomas.

Palavras-chave: Campo de atuação profissional. Mercado de trabalho. Competência profissional. Bibliotecário.

Link: http://racin.arquivologiauepb.com.br/edicoes/v5_n1/racin_v5_n1_artigo05.pdf

Biografia do Autor

Fabriele da Silva Freire, Universidade Federal do Amazonas (UFAM).
Graduanda do curso de Biblioteconomia na Universidade Federal do Amazonas (UFAM).
Jorge Luiz Cativo Alauzo, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia.
Especialista em Administração e Gestão do Conhecimento (2015). Bacharel em Biblioteconomia (2013) pela Universidade Federal do Amazonas (UFMA). Tecnólogo em Processamento de Dados (2001) pelo Instituto de Tecnologia da Amazônia. Bibliotecário do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia.
Daniela Fernanda de Assis Spudeit, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).
Mestra em Ciência da Informação pela UFSC, especialista em "Gestão de Unidades de Informação" pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) e em "Didática do Ensino Superior" pelo SENAC. Bacharel em Biblioteconomia pela UFSC e licenciada em Pedagogia pela UDESC. Professora no curso de Biblioteconomia e no Programa de Pós-Graduação de Gestão da Informação da UDESC.
Publicado
2018-06-28
Seção
Resumos de artigos científicos