Etiquetagem colaborativa nas bibliotecas: o caso da Literatura

  • Patrícia Almeida Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra

Resumo

Com o paradigma informacional da web 2.0, chega aos serviços de informação e documentação um conjunto de práticas provenientes da folksonomia, entre elas a atribuição de etiquetas por produtores e consumidores de recursos online. Estudos revelam que algumas bibliotecas têm já implementado um catálogo 2.0 e beneficiam da colaboração dos seus utilizadores em diversas áreas do saber, contudo escasseiam trabalhos na área da Literatura, tradicionalmente não indexada. Com o intuito de verificar se a etiquetagem colaborativa seria um fator de enriquecimento do catálogo e melhoraria o serviço prestado pelas bibliotecas nesta área do saber, realizou-se um estudo de caso com obras literárias de Almeida Garrett, recorrendo-se, para tal, aos dados da plataforma LibraryThing. Confirmaram-se o predomínio de informação correta, com valor acrescentado, bem como a ocorrência de alguns dos aspetos problemáticos, referidos em investigações anteriores. Assim, defende-se uma folksonomia assistida na atribuição de etiquetas para a Literatura e conclui-se que este sistema seria vantajoso para o utilizador de um catálogo 2.0, para o profissional da informação e para a construção coletiva de conhecimento.

Palavras-chave: Folksonomia. Etiquetagem colaborativa. Bibliotecas. Literatura.

Link: http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/2741/2079


Biografia do Autor

Patrícia Almeida, Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra

Publicado
2018-11-09
Seção
Resumos de artigos científicos