Políticas de gestão de acervos: possíveis fontes de informação para tomada de decisão nos museus

  • Raquel França Garcia Augustin Universidade Federal de Pelotas (UFPel)
  • Cátia Rodrigues Barbosa Universidade Federal de Minas (UFMG)

Resumo

As políticas de gestão de acervos se configuram como fontes de informação para o público e para a equipe da instituição museológica. Auxiliares ao processo de tomada de decisão com base no modelo racional, os documentos são confeccionados como guias de orientação, delegação de responsabilidades e disseminação de informação quanto aos processos de gerenciamento técnico dos acervos executados no museu. A presente pesquisa visa analisar as políticas de gestão de acervo disponibilizadas via web pelo Museu de Astronomia e Ciências Afins, Fundação Joaquim Nabuco, Casa de Oswaldo Cruz e Museu Paraense Emilio Goeldi, no sentido de analisar as políticas de gestão de acervos como possíveis fontes de informação com diretrizes para a tomada de decisão relacionada à preservação do patrimônio musealizado. Apresentam-se conceitos e temáticas como fontes de informação, tomada de decisão e políticas de gestão de acervos, a fim de analisá-los e correlacioná-los. Concluiu-se que as políticas apresentaram distintos níveis de aprofundamento nos aspectos dos processos analisados, disseminando informações principalmente quanto a etapas processuais e critérios vinculados às tomadas de decisão. Por fim, observou-se que a temática da preservação era evidente na composição do texto das políticas de gestão de acervos e na valorização dos processos componentes como aspectos condicionantes da musealização dos bens culturais.

Palavras-chave: Gestão da Informação. Políticas de Gestão de Acervos. Preservação. Museu.

Link: http://www.periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/pgc/article/view/35036/19965

Biografia do Autor

Raquel França Garcia Augustin, Universidade Federal de Pelotas (UFPel)

Publicado
2018-11-16
Seção
Resumos de artigos científicos