Cadeias sem fio: a crise do sujeito e “ordo amoris” na cultura digital

  • Vincenzo Susca Professor de Sociologia da Imaginação na Universidade Paul-Valéry de Montpellier, França

Resumo

Susca  considera,  neste  artigo,  que  a  partilha  nesse  meio  efêmero  que  são  as  redes  sociais  estabelece um vínculo afetivo entre os membros da tribo, da própria rede ou da comunidadenogeral. E que essa união  carrega,  como  uma  de  suas  características,  uma  intensa  carga  emocional.  A  relação,  a  partir desse  momento,  não  se  origina  mais  do  com-partilhamento  de  princípios  só  abstratos  ou  só  das instâncias  racionais,  mas  é  delineada  por  meio  de  uma  comunhão  de  destinoque  são os múltiplos fragmentos  superficiais.  Assim,  estabelece-se  uma  relação  virtuosa  de  consequências  na  qual  a reversibilidade  entre  natureza  e  cultura  é  atuante,  nessa  dialética complexa entre  órgãos  biológicos  e instrumentos tecnológicos.

Palavras-chave: Comunicação. Meios eletrônicos. Marshall McLuhan. Imaginário

Link: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/54009/26528

Biografia do Autor

Vincenzo Susca, Professor de Sociologia da Imaginação na Universidade Paul-Valéry de Montpellier, França
Professor de Sociologia do Imaginário e atual diretor do Departamento de Sociologia na Universidade de Montpellier, na França, pesquisador do Centro de Estudos sobre o Atual e o Cotidiano, na Sorbonne, França, e do McLuhan Fellow, na Universidade de Toronto, no Canadá. Entre seus últimos livros: "Gioia Tragica. Le forme elementari della vita elettronica (Milano 2010, Parigi 2011, Barcellona 2012); Les affinités connectives (Parigi 2016, Sulina, Porto Alegre 2018). Fundador dos Cadernos Europeus do Imaginário (CNRS Éditions), em 2008, com Michaël Dandrieux.
Publicado
2019-02-19
Seção
Resumos de artigos científicos