Educação inclusiva e multideficiência: a pessoa, o sonho, a realidade

  • Maria Elisabete Silva Tomé Mendes Escola Superior de Educação e Ciências Sociais - Instituto Politécnico de Portalegre

Resumo

Apresentam-se questões relativas à inclusão de alunos com multideficiência na escola, relacionando-as com o compromisso de ser oferecida uma educação de qualidade a todas as crianças e jovens com necessidades educativas múltiplas. Quando se fala de pessoas com necessidades educativas múltiplas, refere-se àquelas que requerem ajudas ou recursos que não estão habitualmente disponíveis no seu contexto educativo, de modo a possibilitar-lhes oportunidades de desenvolvimento e aprendizagem. As crianças e jovens com maiores necessidades educativas significam enorme desafio para educadores e professores devido às múltiplas dificuldades que as caracterizam. Uma das questões centrais aqui abordadas prende-se ao facto de eles não terem necessidades qualitativamente diferentes daqueles que não têm deficiência. A diferença revela-se no fato de os alunos com multideficiência não terem capacidade para, de forma autônoma, participar ativamente na construção de experiências nas suas vidas, pois apresentam uma série de impedimentos de nível físico, sensorial, comunicativo, psicossocial, de saúde, que os remete para uma natural ‘‘passividade aprendida’’. Salienta-se assim a importância de uma intervenção centrada na pessoa, bem como a responsabilidade de educadores e professores na criação de comunidades de aprendizagem que promovam o exercício da plena cidadania. Hoje, a inclusão está claramente definida e legislada. Mas promove-se, realmente, a educação inclusiva das crianças e jovens com multideficiência? É preciso acreditar e agir.

Palavras-chave:  Necessidades educativas Múltiplas. Inclusão educativa. Intervenção centrada na pessoa.

Link: http://revista.ibict.br/inclusao/article/view/4086/3596

Biografia do Autor

Maria Elisabete Silva Tomé Mendes, Escola Superior de Educação e Ciências Sociais - Instituto Politécnico de Portalegre
Doutora em Psicologia do Desenvolvimento e Educação pela Universidade do Porto (UPorto) - Portugal. Professora-Adjunta, Escola Superior de Educação e Ciências Sociais - Instituto Politécnico de Portalegre (ESECS-IPP) - Portalegre - Portugal.
Publicado
2019-03-16
Seção
Resumos de artigos científicos