As mulheres no campo político: uma análise das candidaturas femininas às prefeituras brasileiras (2000-2016)

  • Maria Salet Ferreira Novellino Escola Nacional de Ciências Estatísticas (ENCE) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)
  • Maria Luíza Guerra de Toledo Escola Nacional de Ciências Estatísticas (ENCE) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

Resumo

O trabalho analisa a distribuição, na hierarquia do campo político, de candidatas às prefeituras no período de 2000 a 2016. Para isto, constitui-se um arcabouço teórico a partir da concepção de campo e capital político e de habitus de Pierre Bourdieu, e nos conceitos de oferta e demanda apropriados por teóricas feministas para tratar do recrutamento de candidatas pelos partidos. Para esta análise, realizaram-se, a partir dos dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), estatísticas descritivas. Sob o aspecto da oferta, consideraram-se as variáveis grau de instrução, carreira e área de atuação. A demanda foi medida pelas taxas de crescimento das candidaturas femininas e sua distribuição hierárquica no campo político, a qual foi estabelecida a partir do tamanho e região do município, UF e o porte do partido. Verificou-se, ao final, que a participação feminina cresce, mas em posições hierárquicas inferiores: municípios micros e pequenos, UFs com PIBs mais baixos e partidos nanicos. Portanto, o campo político é um espaço ainda de predomínio masculino, no qual se observa a segregação de gênero, que reforça e mantém as candidatas em posições hierárquicas inferiores.

Palavras-chave: Representação política. Mulheres. Prefeituras brasileiras

Link:http://revista.ibict.br/inclusao/article/view/4110/3730

Biografia do Autor

Maria Salet Ferreira Novellino, Escola Nacional de Ciências Estatísticas (ENCE) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)
Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro/Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (UFRJ/IBICT) - Rio de Janeiro, RJ - Brasil. Professora e pesquisadora na Escola Nacional de Ciências Estatísticas (ENCE) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) - Rio de Janeiro, RJ - Brasil.
Maria Luíza Guerra de Toledo, Escola Nacional de Ciências Estatísticas (ENCE) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)
Doutora em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) - Belo Horizonte, MG - Brasil. Professora e pesquisadora da Escola Nacional de Ciências Estatísticas (ENCE) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) - Rio de Janeiro, RJ - Brasil.
Publicado
2019-03-16
Seção
Resumos de artigos científicos