A macroavaliação como um método: seleção de documentos para a descrição

  • Ívina Flores Melo Kuroki Universidade de Brasília (UnB)

Resumo

A reflexões trazidas neste trabalho visam propor a utilização dos pressupostos da macroavaliação como um método de seleção de documentos de arquivo para proceder a descrição dentro da perspectiva da Arquivologia social. Parte-se da definição de método de Weber (2006) juntamente com a demarcação de uma Arquivologia voltada para a responsabilidade social, a partir dos constructos de Eastwood (2003) e Cook (1991 2003,2006). Além disso, situa a macroavaliação,a partir de sua origem,como uma possível metodologia. Pode-se verificar que a macroavaliação possui como requisito o enfoque social assim como a integração dos valores documentais o que a faz convergir na proposta metodológica estabelecida por Cook (2003). Esta proposta, por sua vez, está disposta em cinco etapas que visam o uso da macroavaliação como maneira de mapear o desenvolvimento das funções e subfunções das instituições de forma a selecionar os documentos para atender as necessidades sócio-políticas e do usuário. Para uma melhor compreensão acerca da macroavaliação, relata-se um breve histórico da publicação da Norma Brasileira de Descrição Arquivística no Brasil elencandoas características necessárias para a função arquivística da descrição.Estas características são comparadas as etapas de macroavaliação de Cook (2003). Esta comparação proporciona elementos/argumentos que embasam a proposta de uma metodologia de seleção de documentos baseada nos pressupostos da Arquivologia Social e da macroavaliação.Em síntese, ela concentra-se no estudo das estruturas organizacionais e na identificação da necessidade de informação do usuário quando se seleciona documentos e os descreve. A proposta deste trabalho foi aplicada em um projeto piloto onde se notou que a construção da descrição de documentos, em consonância com os fatores sócio-políticos, conforme preconizado pela macroavaliação, tendo em vista a perspectiva social da Arquivologia, pode trazer a luz informações esquecidas pelo tempo. Concluiu-se que a proposta deste trabalho não visa a “dogmatização” da metodologia, mas chamar atenção que arquivistas podam utilizar as diversas teorias e os diversos modelos arquivísticos para inovar o modus operandie atender as demandas sociais e dos usuários.

Palavras-chave: Arquivologia social. Descrição. Macroavaliação. Seleção documental.

Link: http://racin.arquivologiauepb.com.br/edicoes/v6_nesp/racin_v6_nesp_TA_GT02_0118-0131.pdf

Biografia do Autor

Ívina Flores Melo Kuroki, Universidade de Brasília (UnB)
Mestre e Doutoranda em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCINF/UNB) da Faculdade de Ciência da Informação da Universidade de Brasília. Bacharel em Arquivologia pela Universidade de Brasília. Tecnologista em Ciência e Tecnologia- Gestão da Informação e do Conhecimento no Ministério da Saúde.
Publicado
2019-06-05
Seção
Resumos de artigos científicos