O buraco negro criado pelas Tecnologias da Informação e Comunicação

  • Antonio Aparecido de Carvalho USCS - Universidade Municipal de São Caetano do Sul
  • Milton Carlos Farina USCS - Universidade Municipal de São Caetano do Sul.
  • Leonardo Birche de Carvalho USCS - Universidade Municipal de São Caetano do Sul.

Resumo

A pesquisa teve o intuito de trazer à tona uma análise crítica acerca da forma de coleta, armazenamento e acesso a dados e informações, anteriormente documentados eram arquivados em meio manual, tais como relatórios, livros dentre outros, já na atualidade a tecnologia de informação e comunicação trouxe a ideia de que as informações devem estar armazenadas em meios digitais, nuvens, pen drives, e-mails e demais hardwares,  contudo surge o seguinte questionamento: “O que nos garante que  no futuro teremos programas, dispositivos e ferramentas compatíveis para acessá-las?” Documentos e informações anteriormente armazenados em fitas cassetes, disquetes ou nas memórias de computadores antigos, por vezes se tornam inacessíveis devido à indisponibilidade de dispositivos devido à obsolescência de equipamentos ou até mesmo das constantes atualizações de softwares. A impossibilidade de acesso às informações arquivadas digitalmente é conhecida como “Buraco Negro Digital”. A pesquisa demonstra que algumas organizações estão antevendo problemas e buscando possíveis soluções para preservação documental e consequentemente da nossa história para as gerações futuras, contudo muito há de ser feito.

Biografia do Autor

Antonio Aparecido de Carvalho, USCS - Universidade Municipal de São Caetano do Sul
Possui graduação em ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul (1980), graduação em CIÊNCIAS ECONÔMICAS pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul (1982), pós graduação em Administração Financeira pela Universidade Metodista de São Paulo (1997), mestrado em Educação, Administração e Comunicação pela Universidade São Marcos (2007), pós graduação - MBA Gestão e Inovação do Ensino a Distância - USP (2015). Pós graduação - MBA em Marketing pela USP ESALQ (2017). Atualmente é coordenador e professor do curso de graduação em Administração da Faculdade São Bernardo, professor do curso de pós graduação da Faculdade de São Bernardo do Campo, professor de engenharia econômica do curso de Engenharia de Produção da Faculdade São Bernardo, funcionário concursado e aposentado da Caixa Econômica Federal. Tem experiência na área de Administração com ênfase em Finanças. Parecerista da 24a, 25a, 26a, 27a e 28a. edições do Guia do Estudante. Doutorando em Administração Universidade São Caetano do Sul - USCS. Eleito representante discente (Doutorado) do Programa de Pós-graduação em Administração na Comissão de Pós-graduação (CPG) - USCS
Milton Carlos Farina, USCS - Universidade Municipal de São Caetano do Sul.
Professor do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (PPGA - USCS) e dos cursos de graduação da mesma Instituição. Linha de Pesquisa 3. Áreas de pesquisa: Gestão de Redes Organizacionais e Gestão de Redes de Negócios. Temas de interesse: clusters industriais e comerciais, redes de inovação, relacionamento em redes, gestão do conhecimento, cocriação de valor, descarte de resíduos eletrônicos, logística reversa, TI verde, princípios para o ensino sustentável, gestão sustentável, análise de redes sociais. Formação: Doutorado em Administração ? Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (2009) - FEA-USP . Mestrado em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas - SP (2002) - EAESP ? FGV. Graduação em Matemática ? Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (1974) - IME ? USP
Leonardo Birche de Carvalho, USCS - Universidade Municipal de São Caetano do Sul.
Mestrando em Educação pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul, com pesquisa em Formação de arte-educadores de teatro. Especialista em Direção Teatral (2013) e Interpretação (2017) pela Escola Superior de Artes Célia Helena, instituição em que também se formou ator no curso técnico profissionalizante 2012). Bacharel em Comunicação Social, em habilitação em Publicidade e Propaganda (201) pela ESPM-SP, concluindo o curso com trabalho acerca de gestão da cultura, pelo qual foi laureado com 3 prêmios de mérito acadêmico pela instituição. Foi professor de Interpretação Dramática do Teatro-escola Célia Helena de 2016 a 2018, professor do curso de extensão universitária da Escola Superior de Artes Célia Helena (2016) e artista-orientador de artes cênicas da Casa do Teatro de 2012 a 2015. Integra o Coletivo Cronópio desde 2013, atuando e produzindo as peças "Favor beber o leite, senão estraga" e "(instruções para compor uma peça) - Se for viver, leia antes.", e em projetos realizados a convite do Centro Cultural São Paulo, SESC, SESI e Secretaria Municipal da Cultura. Dentre outras experiências como ator, desenvolveu trabalhos com Marcelo Lazzaratto, Renato Borghi e Elisa Ohtake. Como produtor e pesquisador da 3D3 Comunicação e Cultura, atuou em projetos para Centro Cultural Banco do Brasil, Instituto Itaú Cultural, Associação Brasileira de Arte Contemporânea, além de projetos realizados pela Secretaria Estadual de Cultura e no Panorama Setorial da Cultura Brasileira 2017|2018.
Publicado
2019-07-09
Seção
Pesquisas em andamento