A representação arquivística nos instrumentos de pesquisa do CPDOC

  • Eliezer Pires da Silva Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).
  • Fernanda da Silva Rodrigues Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Resumo

A Descrição Arquivística como conceito e prática vem se desenvolvendo ao longo do tempo. O contexto atual marcado por um paradigma tecnológico traz grandes desafios, porém oferece possibilidades de disponibilização de acervos. Dessa forma este trabalho objetiva analisar que tipo de estratégias descritivas as instituições vem desenvolvendo para disponibilizar os seus acervos nesse cenário. A análise levou ao Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC), pela sua importância para estudos da história recente do país, e tendo em vista os recursos de pesquisa disponibilizados online. A fundamentação teórico-metodológica envolveu a compreensão da evolução do conceito de representação arquivística, do processo de elaboração de uma normatização, e sobre os instrumentos de pesquisa, que possibilitou a análise da realidade específica do fundo João Goulart enquanto arquivo e do CPDOC enquanto instituição custiodiadora. De forma geral observou-se confrontando a teoria da área com a realidade empírica da instituição que não há uma convergência das práticas desempenhadas no que tange a descrição, de forma absoluta, tanto em relação à normatização proposta pela NOBRADE, quanto aos instrumentos de pesquisa disponíveis.

Palavras-chave: Accessus. Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC). Descrição arquivística. Guia de arquivos. Instrumentos de pesquisa.

Link: http://racin.arquivologiauepb.com.br/edicoes/v6_nesp/racin_v6_nesp_TA_GT03_0247-0266.pdf

Biografia do Autor

Eliezer Pires da Silva, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).
Doutorado em Memória Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Professor Adjunto da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).
Fernanda da Silva Rodrigues, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)
Mestranda em Arquivologia pelo Programa de Pós-Graduação em Gestão de Documentos e Arquivos da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)
Publicado
2019-07-08
Seção
Resumos de artigos científicos