Práticas informacionais de presas grávidas

  • Andreza Gonçalves Barbosa UFMG
  • Adriana Blogliolo Sirihal Duarte UFMG

Resumo

O artigo apresenta um estudo das práticas informacionais de presas grávidas do Centro de Referência à Gestante Privada de Liberdade da cidade de Vespasiano – Região Metropolitana de Minas Gerais, no qual objetivo é compreender por as práticas informacionais das apenadas, em particular suas estratégias para buscar, acessar, se apropriar e partilhar a informação. A pesquisa apresenta caráter exploratório e natureza qualitativa. As técnicas de coleta de dados incluem observação participativa e entrevistas semiestruturadas. Para análise dos dados foram criadas categorias através da técnica de codificação com modelo misto (com categorias a priori derivadas de modelos teóricos e categorias a posteriori inferidas a partir dos dados coletados nos relatos das presas, através de indução e análise de conteúdo).  Os resultados apontam que as apenadas se preocupam em obter informações sobre suas penas e acerca da saúde dos filhos, assim como procuram saber notícias dos companheiros, os quais na maioria das vezes estão presos. No que tange à leitura, muitas relataram que gostariam de ter acesso a leituras que remetessem ao universo prisional, sobretudo questões de direito.Palavras-chave: Práticas informacionais. Presas gestantes. Estudos de usuários.Link: https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1051

Biografia do Autor

Andreza Gonçalves Barbosa, UFMG
Mestranda em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais.
Adriana Blogliolo Sirihal Duarte, UFMG
Professora Associada do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais.
Publicado
2019-09-09
Seção
Resumos de artigos científicos