Teoria do reconhecimento de Axel Honneth: razões para preservar arquivos pessoais

  • Augusto César Luiz Britto Mestre em Comunicação, Linguagens e Cultura – UNAMA. Arquivista do Instituto Evandro Chagas.
  • Danila Gentil Rodriguez Cal Lage Doutora em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais. Pós-doutorado em Comunicação e Esfera Pública (CNPq-UFMG). Professora Adjunta da Faculdade de Comunicação e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Universidade Federal do Pará.
  • Analaura Corradi Doutora em Ciências Agrárias – UFRA. Professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Linguagens e Cultura – UNAMA.

Resumo

A Teoria do Reconhecimento de Axel Honneth surge na metade do século XX como modelo de interpretação dos fenômenos sociais. Podemos elencar os Arquivos Pessoais e os motivos que os seus titulares levaram para preservar seus documentos como um dos fenômenos possíveis a ser estudado mediante essa teoria. Tendo como pressuposto essa possibilidade, esse artigo visa demonstrar a relação entre as Teorias Arquivísticas e a Teoria do Reconhecimento ao se estudar um Arquivo Pessoal específico. O acervo escolhido foi o do Dr. José Maria de Souza custodiado pelo Instituto Evandro Chagas - IEC por conter uma diversidade de tipologias documentais o qual possibilitou um amplo campo para análise e interpretação. Conceitua-se Arquivo e Arquivo Pessoal e disserta-se, baseada na literatura arquivística, os motivos que levam alguém a preservar seus documentos. Contextualiza-se a Teoria do Reconhecimento e o acervo do Dr. José Maria de Souza. Finda com a análise do acervo em estudo tendo como molde a Teoria do Reconhecimento. Palavras-chave: Arquivo Pessoal. Teoria do Reconhecimento. Axel Honneth. Link: https://agora.emnuvens.com.br/ra/article/view/762/pdf
Publicado
2019-09-21
Seção
Resumos de artigos científicos