Entre realidades e virtualidades: mapeamento dos termos gestão da informação e gestão do conhecimento em planos de estudos de informação em Portugal e em Espanha

Resumo

O estudo enquadra-se nas realidades/virtualidades das ditas sociedades da informação/conhecimento.
Realiza-se um mapeamento dos planos de estudos em informação em ciclos vigentes em Portugal e em
Espanha, identifca-se, pela análise dos seus conteúdos, a presença dos termos “gestão da informação” e
“gestão do conhecimento” e perceciona-se a sua representatividade. A abordagem é qualitativa, com ênfase
exploratória e descritiva. A revisão bibliográfca é seletiva. A análise documental ampara-se em documentos
ofciais, divulgados na Web e devidamente contrastados. As instituições pertencentes aos sistemas de ensino
português e espanhol são identifcadas e os planos de estudos e programas de disciplina são examinados.
Os resultados indicam incidências/coincidências dos termos em grau e distribuição variáveis, em ambos os
países e nos distintos ciclos de estudos observados. Comparativamente, os termos são mais frequentes
nos programas de disciplina espanhóis do que nos programas portugueses. O termo “gestão da informação” é o mais frequente em ambos os países, registando-se baixos índices de coincidência dos termos. Conclui-se pela necessidade de, em futuros estudos, aprofundar o rastreio dos conteúdos desses programas, cruzando os resultados com as perceções de estudantes, ingressos e egressos, acerca das reais/virtuais repercussões da inclusão desses temas na sua formação e no seu desempenho profssional.

Palavras-chave: Gestão da informação. Gestão do conhecimento. Planos de estudos.

Link: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4799/4173

Biografia do Autor

Maria Cristina Vieira de Freitas, Universidade de Coimbra (UC) - Portugal.

Doutora em Biblioteconomia e Documentação pela Universidad de Salamanca (USAL) - Espanha.
Professora da Universidade de Coimbra (UC) - Portugal.
http://lattes.cnpq.br/2059074252489081

Filipa Manuela Ramos Morado Leite, Professora da Universidade de Coimbra (UC ) - Portugal.

Pós-Doutorado pela Universidad Carlos III de Madrid (UC3M) - Espanha. Doutora Letras, área de
Ciências Documentais, na especialidade de Tecnologias da Informação pela Universidade de Coimbra (UC)
- Portugal. Professora da Universidade de Coimbra (UC ) - Portugal.
http://lattes.cnpq.br/1561313197621686

Maria Manuel Borges, Universidade de Coimbra (UC ) - Portugal

Pós-Doutorado pela Universidad Carlos III de Madrid (UC3M) - Espanha. Doutora Letras, área de
Ciências Documentais, na especialidade de Tecnologias da Informação pela Universidade de Coimbra (UC)
- Portugal. Professora da Universidade de Coimbra (UC ) - Portugal.

Manuela Moro Cabero, Professora da Universidad de Salamanca (USAL) - Espanha.

Doutora em Historia pela Universidad de Salamanca (USAL) - Espanha. Professora da Universidade
Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp) –SP - Brasil. Professora da Universidad de Salamanca
(USAL) - Espanha.
http://lattes.cnpq.br/0475077117392892

Manuela Moro Cabero, Universidad de Salamanca(USAL) - Espanha

Doutora em Historia pela Universidad de Salamanca (USAL) - Espanha. Professora da Universidade
Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp) –SP - Brasil. Professora da Universidad de Salamanca
(USAL) - Espanha.
http://lattes.cnpq.br/0475077117392892

Publicado
2019-11-25
Seção
Resumos de artigos científicos