Por uma pedagogia criadora e imaginativa: retratos de uma prática docente transformadora

Resumo

A Ciência da Informação, pela inserção de pesquisadores de várias áreas interessados no estudo da informação enquanto objeto científico, acaba tornando-se, à parte qualquer polêmica a respeito, um campo interdisciplinar. Sua práxis pode se fortalecer enormemente se as investigações realizadas na área repercutirem no ensino numa perspectiva afinada com a noção segundo a qual o professor deve, obrigatoriamente, ser um pesquisador. Essa ideia, esboçada por Paulo Freire, parte do pressuposto de não ser possível o real ensino sem pesquisa, e vice- versa. O presente artigo procura destacar essa indissociação por meio da análise dos relatos de experiências vivenciados por vários alunos e colegas que cruzaram a trajetória da pesquisador a Adriana Bogliolo Sirihal Duarte, docente da Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais. Mais ainda, pretende apontar o percurso dessa professora, formada inicialmente em Ciência da Computação, que foi entremeado não só de relevante contribuição para a área, mas de uma prática educativa exercida com afetividade, alegria, capacidade científica e domínio técnico a serviço da mudança, características que Freire atribui ao professor ideal.   Palavras - chave: Adriana Bogliolo Sirihal Duarte. Fazer pedagógico. Espírito científico. Imaginação criadora.    Link: http://www.periodicos.ufc.br/informacaoempauta/article/view/41103/pdf

Biografia do Autor

Eliane Pawlowski Oliveira Araujo, UFMG

Graduada em Administração, é Especialista em Gestão Estratégica da Informação (2010), Mestra (2013) e Doutora (2017) em Ciência da Informação - área de Gestão da Informação e Conhecimento - pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com estágio pós-doutoral (2019) pelo Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação da mesma Universidade. Exerce a função de Coordenadora Adjunta do Gabinete de Estudos da Informação e do Imaginário (GEDII/UFMG) dedicando-se a pesquisas que abordam temas relacionados aos comportamentos e práticas informacionais e dimensões simbólicas do uso da informação. É membro do Centro de Investigação em Comunicação, Informação e Cultura Digital ( CIC.Digital) da Universidade do Porto, Portugal. Desenvolve estudos na área de educação a distância tendo atuado como tutor pelo Centro de Apoio a Educação a Distância - CAED/UFMG no período de 2012/2013. É servidora da Universidade Federal de Minas Gerais, lotada no Sistema de Bibliotecas, exercendo atividades na área de planejamento, gestão e apoio a projetos. Com formação em Análise de Sistemas pelo Instituto de Ciências Exatas (ICEx/UFMG), coordenou o projeto de Inventário do parque computacional da UFMG (1999) da Assessoria de Tecnologia da Informação e exerceu a Coordenação Adjunta do Programa de Administração e Gerenciamento de resíduos sólidos (Geresol UFMG), de 1999 a 2004.

Claudio Paixão Anastácio de Paula

Claudio Paixão Anastácio de Paula possui doutorado em Psicologia Social pela Universidade de São Paulo (2005), mestrado em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais (1999), graduação em Psicologia (Habilitação em Psicologia Clínica) pela Fundação Mineira de Educação e Cultura (1994) e bacharelado e licenciatura em Psicologia pela Fundação Mineira de Educação e Cultura (1993). Atualmente é Professor Associado do Departamento de Teoria e Gestão da Informação (DTGI) da Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e desenvolve a pesquisa ?Dimensões simbólicas e afetivas da informação: construindo um repertório de práticas de investigação? na ECI/UFMG. É coordenador do GEDII (Gabinete de Estudos da Informação e do Imaginário, no PPGCI/ECI/UFMG), dedicando-se a pesquisas que abordam temas relacionados aos comportamentos e práticas informacionais e dimensões simbólicas do uso da informação. É pesquisador do GECCI (Grupo de Estudos Cognitivos em Ciência da Informação, na ECI/UFMG) e do EPIC (Estudos de Práticas Informacionais e Cultura, na ECI/UFMG), ambos vinculados ao PPGCI/UFMG. É também coordenador do curso de especialização em "Gestão da Informação e Pessoas" (GIP) do Núcleo de Informação Tecnológica e Gerencial (NITEG) da ECI/UFMG. Possui capítulos de livros e artigos publicados sobre Abordagem Clínica da Informação (ACI), inconsciente, imaginação, pós-modernidade, novas tecnologias, psicoterapia, saúde, educação para a saúde, saúde mental, psicologia junguiana, identidade brasileira, gestão do conhecimento, administração, empreendedorismo, informação e psicologia organizacional. Inclui, entre suas experiências, atividades junto à ACT. Inc. (Companhia especializada em avaliação e certificação educacional, ocupacional e profissional) no Brasil e em sua sede em Iowa City, USA. Tendo atuado nesse período como coordenador de projetos para a Secretaria de Estado de Educação (MG), da Secretaria Estadual de Planejamento (MG) e da FIEMG. Foi um dos criadores do Curso de Psicologia da Faculdade FEAD. Atua nas áreas de Gestão do Conhecimento e Psicologia, com ênfase em Relações Simbólicas nas Organizações. Em seu currículo Lattes os termos mais freqüentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: Abordagem Clínica da Informação (ACI), subjetividade, dimensões simbólico-afetivas da informação, gestão do conhecimento, psicologia analítica, estudos junguianos, psicologia organizacional, empreendedorismo, gestão de pessoas e Jung. Possui uma longa experiência como psicólogo clínico atuando em consultório particular. Foi Membro do Comitê Executivo da International Association for Junguian Studies e Membro Fundador da EMDR-Brasil (Associação Brasileira de EMDR - Eye Movement Desensitization and Reprocessing), instituição filiada à EMDRIA (EMDR International Association).

Publicado
2019-12-09
Seção
Resumos de artigos científicos