O Movimento neodocumentalista e a reaproximação entre Ciência da Informação e Documentação: uma perspectiva histórico-conceitual

Resumo

Houve um período no qual os estudos sobre o conceito de documento na Ciência da Informação foram preteridos em favor dos estudos sobre a informação. Porém nas últimas décadas os conceitos de Paul Otlet e Suzanne Briet sobre documento e Documentação foram redescobertos por alguns estudiosos e reinseridos na Ciência da Informação, por um movimento intitulado como Neodocumentalista. No presente artigo, por meio de pesquisa bibliográfica, é apontado um caminho histórico e conceitual sobre o surgimento deste movimento a partir das iniciativas de pesquisa de dois grupos, o grupo RPT-doc originário da França e o grupo Document Academy, um coletivo global originado nos Estados Unidos. Apresenta a discussão sobre a definição do termo que intitula o movimento e os argumentos sobre como a necessidade de discutir o conceito de documento no ambiente digital resultou no surgimento da Neodocumentação e, baseado no conceito de Coletivo de Pensamento, de Ludwick Fleck, analisa como as pesquisas e discussões desses pesquisadores configurou o aparecimento de uma nova corrente de pensamento dentro da Ciência da Informação. Conclui que devido mudanças sociais e tecnológicas ocorridas em um determinado contexto histórico, o conceito de documento precisou ser revisitado, tornando-se necessária a organização de outra comunidade de cientistas para novas discussões sobre o conceito.

Biografia do Autor

Gabriela Fernanda Ribeiro Rodrigues, Universidade de Brasilia
Bibliotecária graduada pela Faculdade de Ciêncida da Informação/ FCI , da Universidade de Brasília/ UnB e Mestra em Ciência da Informação pela FCI/ UnB.
Publicado
2020-03-28
Seção
Pesquisas em andamento