O discurso biobibliográfico em Gabriel Peignot: notas sobre o sujeito e o autor na Modernidade bibliológica

  • Gustavo Silva Saldanha Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
  • Diogo Xavier da Mata Universidade Federal do Rio de Janeiro

Resumo

A pesquisa propõe uma análise do discurso biobibliográfico em Gabriel Peignot a partir do Dictionnaire Raisonné de Bibliologie, publicado em 1802. O foco do objeto de investigação está na discussão sobre a identificação e a descrição das fontes de informação biobibliográficas no corpus peignotiano. A reflexão teórica, sustentada pela epistemologia histórica e pela abordagem filosófico-linguística, via a teoria pragmática, se constrói a partir de três marcos discursivos, a saber: os verbetes biobibliográficos e a intencionalidade peignotiana, a relação indivíduo e produção de texto/documento em Paul Otlet e, por fim, a reflexão crítica de Roland Barthes acerca da morte do autor como forma tardia de desenvolvimento da Modernidade. O objetivo principal é desenvolver a análise, apoiados em um contexto epistemológico-histórico, do papel da biobibliografia na Modernidade. A discussão mostra que a intenção em Gabriel Peignot de relacionar biografias e os feitos de cada sujeito no contexto bibliológico é profundamente marcada por uma influência enciclopédica e, ao mesmo tempo, por uma concepção sistemática do conhecimento empírico moderno, advindo do século dezoito.

Palavras-chave: Biobibliografia. Discurso Biobibliográfico. Gabriel Peignot. Modernidade. Nome Próprio.

Link: https://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/92421

Publicado
2020-03-29
Seção
Resumos de artigos científicos