Índice de prontidão a tecnologia: um estudo sobre as dimensões positivas e negativas em relação as fintechs

  • Leandro Lima
  • Fabrício Ziviani
  • Fábio Corrêa

Resumo

As novas possibilidades abertas pela tecnologia da informação e introduzidas pelas FinTechs, promovem, a evolução digital no segmento bancário, sobretudo, em plataformas digitais e de aplicações moveis. Analisar o índice de prontidão à tecnologia entre os usuários de Fintechs e verificar as dimensões positivas e negativas desta relação. A pesquisa tem natureza descritiva com abordagem quantitativa, em que, os testes foram aplicados a usuários de FinTechs via questionário para medir o índice de prontidão à tecnologia. A rigor, foi possível analisar e confirmar a importância dos itens significativos para a formação do índice de prontidão dos usuários em relação às FinTechs. A pesquisa ressalta ainda que as dimensões positivas foram superiores às negativas nessa relação. Evidencia-se que os indivíduos são abertos e positivos em relação às FinTechs, o que denota alto índice de prontidão, pois em sua maioria são otimistas e inovativos. No entanto, quanto a dimensão negativa, conclui-se que ainda existe desconforto e insegurança em relação ao uso de novas tecnologias no segmento financeiro.

Palavras-chave: Fintech, Tecnologia Financeira, Índice de Prontidão a Tecnologia.

Link: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/35255

Publicado
2020-03-27
Seção
Resumos de artigos científicos